1º de Maio: solidariedade foi a marca do ato promovido por Centrais sindicais e movimentos populares

Da Redação

Centrais sindicais e movimentos populares promoveram, neste sábado, um ato estadual e solidário de 1º de Maio pela vida, das 10h às 12h, no Largo Glênio Peres, em Porto Alegre. O objetivo foi reforçar a luta por vacina já para todos e todas, por emprego e auxílio emergencial de R$ 600, contra as privatizações, por democracia, por solidariedade e por “fora Bolsonaro”. O ato, que foi transmitido ao vivo pelas redes sociais, contou com a participação de lideranças sindicais, representantes de partidos políticos, parlamentares e lideranças comunitárias, respeitando os protocolos sanitários de distanciamento e uso de máscaras.

“Solidariedade” é a palavra que define as ações realizadas neste sábado na capital gaúcha. Durante o ato e até as 16h, ocorreu mais uma edição do “Drive-Thru da Solidariedade”, no Largo Glênio Peres, coletando doações de alimentos e material de higiene para ajudar famílias em situação de vulnerabilidade nas periferias de Porto Alegre. Ao meio-dia foi distribuída uma marmita para pessoas em situação de rua do centro da Capital, como gesto solidário das centrais sindicais. Houve também coleta de alimentos na Lomba do Pinheiro, Cruzeiro e Humaitá/Farrapos.

Ato unificado do Primeiro de Maio de 2021, em Porto Alegre. (Foto: Maiara Rauber/MST)

Na tarde deste sábado, CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CSB, NCST, CGTB, Intersindical e Pública promoveram uma live nacional, transmitida ao vivo pela TVT e pelo Facebook da CUT Brasil e CUT Rio Grande do Sul. Na live, sindicalistas e políticos debateram a atual conjuntura política, econômica e social do Brasil, destacando o desemprego, a escalada da inflação e medidas necessárias para combater a pandemia, gerar emprego e renda e acabar com a fome e a miséria. A live contou com a participação de artistas como Chico Buarque, Elza Soares, Renegado, Chico César, Osmar Prado, Teresa Cristina, Odair José e Lirinha, entre outros.