55% dos gaúchos acham governo Sartori ruim ou péssimo

Entrevista coletiva do governador Sartori/PMDB e seus secretários
Entrevista coletiva do governador Sartori/PMDB e seus secretários

Pesquisa do instituto IBOPE, divulgada nesta segunda-feira (22) mostrou o verdadeiro desastre que é o governo Sartori/PMDB. 42% dos gaúchos avaliam o governo como péssimo, outros 11% consideram a administração Sartori como ruim. O índice de bom ou ótimo é de ridículos 12%.

Jornal esconde avaliação de Sartori/PMDB

Porém, o mais interessante é o título da matéria que divulga a pesquisa no jornal Zero Hora: “Administração de Fortunati é avaliada como ‘regular’ por 41%, segundo Ibope”. Quer dizer, 55% dos gaúchos avaliam o governador como péssimo ou ruim e a manchete do jornal é que o Prefeito é avaliado como regular por 41%. Além de esconder a pesquisa sobre o governo Sartori/PMDB no final da matéria, o jornal não faz nenhuma avaliação sobre os números apresentados. Quais seriam os motivos para tamanha rejeição ao governo? Quais setores da administração são pior avaliados? Não ficamos sabendo. Talvez isso não interesse ao leitor.

Sartori convoca entrevista para dizer que não se importa com pesquisas

A reação do governador foi imediata. Convocada pelo próprio Palácio Piratini, o governador concedeu uma entrevista coletiva nesta terça-feira (23). Rodeado por seis Secretários, o governador afirmou que não está preocupado com as pesquisas eleitorais. A sua preocupação é com o que precisa ser feito e com o que está sendo feito. Na entrevista o governador e seu Secretário da Fazenda repetiram a mesma ladainha de sempre: a crise financeira não permite investimentos, o governo está equilibrando as finanças públicas, os próximos governos aproveitarão o legado de austeridade desse governo. O governador tem tão pouca preocupação com as pesquisas, que convocou uma entrevista coletiva e chamou seis secretários só para dizer que não está preocupado. Realmente esse governador é um piadista de mau gosto.

Governador não quer ver a dura realidade

O nosso governador parece ter algum problema em lidar com a realidade. Em sua entrevista ele diz que os índices negativos se devem ao seu ajuste das finanças e a péssima condição financeira do Estado. Será que o governador não olha os índices de violência do nosso estado? Será que ele não sabe das péssimas condições da educação no RS? Será que ele não sabe como está o sistema de saúde gaúcho? É difícil de acreditar que ele não tenha acesso a esses dados. Talvez ele acredite que negar a realidade faça ela mudar. A realidade é que temos um governo que, depois de um ano e meio, ainda não começou. Todas as medidas tomadas, como aumento de impostos, congelamento de investimentos, mudança na previdência dos servidores, calote nas RPVs e parcelamento de salários, não foram capazes de fazer o nosso Estado sair da dita crise financeira. O Rio Grande do Sul vive um momento histórico. Estamos presenciando, talvez, o pior governo da sua história. Um governo que agrega o pior dos últimos governos do PMDB. Ao mesmo tempo que repete o desprezo com o patrimônio público e as péssimas negociações feitas pelo governo Britto, Sartori revive o total imobilismo do governo Rigotto.

População gaúcha deve demonstrar sua insatisfação nas eleições municipais

As forças políticas que compõem o governo Sartori, estarão representadas nas próximas eleições para prefeito. A péssima administração no governo do estado já se reflete nas pesquisas eleitorais, com os candidatos do partido do governador sendo rejeitados. A situação de medo que vive a população gaúcha, com o aumento absurdo da violência, tem levado o povo a rejeitar qualquer candidato que tenha seu nome associado ao governador. Essa repulsa tem que se refletir nas urnas no dia 2 de outubro, impondo uma grande derrota ao governador e suas políticas.