Adriana Deffenti comenta o disco Elis & Tom na Casa de Cultura Mario Quintana

Da Redação 

A Casa de Cultura Mario Quintana recebe na próxima quinta-feira (14) a cantora e compositora gaúcha Adriana Deffenti na Audição Comentada da Casa de Cultura Mario Quintana. No encontro que ocorre às 19h, na Sala Luis Cosme (4º andar), Adriana comentará o disco “Elis & Tom”, gravado em 1974. A entrada é gratuita.

Vale lembrar que “Elis & Tom” entrou na lista de leituras obrigatórias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) para o vestibular de 2018, ao lado de clássicos e destaques recentes da literatura em língua portuguesa.

Ato de coragem de Elis tornou o álbum um clássico da MPB
Em 1974, Elis Regina comemoraria dez anos na gravadora Philips. Por causa da data redonda, a gravadora queria presentear Elis. Podia ser um carro de luxo, um apartamento no exterior ou uma grande viagem, mas a cantora escolheu gravar um disco com o maestro Antônio Carlos Jobim.

Tom aceitou o convite e Elis e seu marido Cesar Camargo Mariano viajaram para a Califórnia. Quando lá chegaram, o clima ficou tenso. O maestro não concordava com o fato de Cesar ficar responsável pelos arranjos, além de implicar com o seu piano elétrico.

Conformado com a situação, o disco começou a ser gravado com Elis colocando voz praticamente ao vivo nas canções e Tom tocando piano em algumas faixas e violão em “Chovendo na Roseira”. O maestro Bill Hitchcock também participou do LP, regendo uma orquestra de cordas em cinco de suas 14 faixas. O acompanhamento ficou por conta dos músicos que acompanhavam Elis naquele ano: Hélio Delmiro (guitarra), Luizão Maia (baixo), Paulo Braga (bateria) e Oscar Castro Neves (violão), além do próprio Cesar Camargo Mariano (piano elétrico e, eventualmente, piano acústico).

“Águas de Março”, a primeira faixa do álbum talvez seja o dueto mais famoso da história da MPB. Os dois casaram suas vozes de uma maneira perfeita e espontânea e, sem dúvida, este foi um dos grandes discos da carreira de Elis, de Tom e de toda a Música Popular Brasileira.

Fonte: Sul21