Após denúncia da UGEIRM, governo começa a retirar os presos das Delegacias

O roteiro parece se repetir à exaustão. O número de presos começa a aumentar nas delegacias da capital e da região metropolitana. A UGEIRM denuncia que a situação está preocupante, com as celas das delegacias com presos há dias em suas celas. O governo se faz de surdo e não toma nenhuma providência. O Sindicato recorre ao Judiciário, ao Legislativo e à OAB/RS, enquanto o número de presos aumenta e chega a mais de 100, tornando a situação insustentável. A UGEIRM aumenta o barulho em torno da situação, denunciando o risco que correm os policiais e a população. As denúncias chegam à imprensa, que noticia e coloca às claras a situação absurda. Como que por mágica, as vagas, que não existiam no sistema prisional, aparecem e o governo esvazia as carceragens das delegacias. E assim, estamos prontos para o reinício de mais um ciclo de irresponsabilidade do governo do estado.

É exatamente esse roteiro que foi executado mais uma vez nesse mês de junho. Após a UGEIRM se mobilizar e denunciar a situação das delegacias da região metropolitana, com denúncias ao Judiciário, Ministério Público, Legislativo e a publicação de matérias nos meios de comunicação, o governo começou a retirar os presos das Delegacias de Novo Hamburgo, São Leopoldo e Canoas. Na manhã de terça-feira (23), eram mais de 100 presos, quando começou a remoção dos detidos.

A grande diferença é que agora vivemos uma pandemia de Coronavírus. A irresponsabilidade do governo pode ter significado o contágio de alguns policiais e, talvez, de outras pessoas que tenham circulado pelas delegacias da região metropolitana. Esperar a lotação das celas das delegacias chegar à imprensa, para tomar alguma providência, é brincar com a vida dos (as) policiais. Um exemplo desse descaso, é que a Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa realizou, a pedido da UGEIRM, uma Audiência Pública para debater a questão dos presos nas delegacias na última quinta-feira, e o governo não foi capaz de enviar um único representante para apresentar sua posição.

A cada vez que o governo retira os presos das delegacias, após a imprensa cumprir seu papel e denunciar a situação, a única coisa que fica demonstrada é que o problema se deve muito mais há uma priorização do governo, do que a falta de vagas no sistema prisional. Esperamos que não seja necessário assistirmos, novamente, esse filme de terror que se repete desde 2015.