Bolsonaro descumpre promessa e não reajusta tabela do IR

Durante a sua campanha, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que elevaria a faixa de isenção do Imposto de Renda para cinco salários mínimos, o que equivalia, na época, a R$ 4.700. No ano passado, o presidente novamente se pronunciou sobre o assunto, prometendo aumentar a faixa de isenção para R$ 3.000. Neste ano, ao divulgar as regras para declaração do Imposto de Renda o que se verificou foi que todas essas promessas não serão cumpridas. A tabela do Imposto de Renda continua a mesma, com a faixa de isenção permanecendo em R$ 1.903,98.

Se a tabela tivesse sido reajustada, levando em conta a inflação, todas as pessoas que ganham até R$ 3.881,85 deveriam estar isentas. De acordo com o Sindifisco (Sindicato dos Fiscais da Receita) a defasagem da Tabela já chega a R$ 103,87%. Essa defasagem significa uma perda salarial real para os assalariados do país, de todas as faixas salariais. Novamente, o que assistimos é o governo fazendo caixa com o salário dos policiais.

Um detalhe é importante ser salientado: os empresários e banqueiros não pagam Imposto de Renda sobre os lucros auferidos nos seus negócios. Isso significa que os banqueiros brasileiros, que tiveram um lucro recorde de R$ 81,5 bilhões em 2019, não pagaram nenhum centavo de Imposto de Renda sobre os seus lucros.