Carreata de Policiais Civis homenageia colegas mortos e pede vacinação para a categoria

Convocados pela UGEIRM, os (as) Policiais Civis gaúchos realizaram, na manhã desta segunda-feira (22), uma Carreata pedindo a priorização dos profissionais da Segurança Pública na vacinação contra a Covid-19. A manifestação também homenageou os colegas mortos em decorrência da Pandemia e os profissionais da saúde. A Carreata se inseriu nas manifestações do Dia Nacional de Luta convocado pela COBRAPOL e Feipol-Sul contra a PEC 32.

A Carreata partiu, às 11 horas da manhã, do Monumento ao Laçador, na Zona Norte da Capital, passando pelo Palácio Piratini onde os Policiais fizeram um buzinaço, chamando a atenção da população para a necessidade da vacinação. No encerramento da manifestação, em frente ao Hospital Ernesto Dornelles, um dos principais pontos de atendimento à Covid-19 na cidade, os manifestantes fizeram um aplauso coletivo aos profissionais da saúde que estão, como os Policiais, trabalhando ininterruptamente desde o início da Pandemia.

Policiais do Interior do estado fizeram protestos em frente às Delegacias

Em várias cidades do interior, os representantes da UGEIRM organizaram manifestações pedindo prioridade de vacinação para a categoria. Nessas cidades, os (as) Policiais Civis foram para a frente das Delegacias, demonstrando à população a importância da vacinação dos servidores da Segurança Pública.

Desde a semana passada, a UGEIRM tem orientado a categoria a pressionar as prefeituras para que as mesmas assumam a vacinação dos Profissionais da Segurança Pública. O objetivo é que outras prefeituras siga o exemplo da cidade de Bagé, onde a vacinação desses trabalhadores já começou, a partir de uma iniciativa da Administração Municipal.

O diretor da UGEIRM, Cladio Wohlfahrt, esclareceu que “a UGEIRM está pedindo ao governo do estado um posicionamento, porque sabe que a administração da Pandemia pelo Governo Bolsonaro tem se mostrado desastrosa. Nós já encaminhamos um ofício ao Ministério da Saúde e ao Ministério da Justiça, solicitando a priorização da categoria. No entanto, as respostas foram totalmente evasivas e nenhuma providência foi tomada. A sensação que temos é que a Presidência da República está mais preocupada com a Reforma Administrativa, do que com a vacinação dos policiais”.

O presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, ressaltou a importância da mobilização dessa segunda-feira. “Esse momento é crucial para a categoria. Estamos diariamente expostos ao risco do contágio e os governantes precisam reconhecer isso. A categoria já está esgotada, após um ano de trabalho ininterrupto, sob o risco permanente do contágio. Isso tem causado um nível de stress insuportável. Além do medo de estarmos levando o vírus para dentro das nossas casas, nas últimas semanas tivemos que conviver com as notícias da internação e da morte de colegas pela Covid-19. Para profissionais que lidam com situações limites, como os policiais, isso torna a nossa profissão ainda mais perigosa. A vacinação vai permitir que possamos realizar nosso trabalho com mais segurança, sem o medo constante do vírus”, conclui Ortiz. O Presidente da UGEIRM, também destacou a importância da equipe de batedores da Polícia Civil, da EPTC e a Volante da Polícia Civil, que garantiram que a Carreata fosse realizada com toda a segurança para os manifestantes.