Conselho de Representantes da UGEIRM prepara mobilização contra o parcelamento

reuniao_cconselho_25_08BO Conselho de Representantes da UGEIRM se reuniu, durante toda esta quinta-feira (25), na sede do sindicato. Durante a manhã, os representantes fizeram uma avaliação da mobilização contra o parcelamento do mês de julho. A avaliação dos representantes foi de que a tática adotada, de fazer uma paralisação de toda a Segurança Pública e a adoção da Operação Padrão enquanto durasse o parcelamento, se mostrou um acerto. A paralisação conseguiu mobilizar a opinião pública, fazendo com que o governo se mobilizasse para responder os policiais, inclusive com o governador Sartori se pronunciando através de um vídeo, onde desfilava mentiras e ameaças ao trabalhadores da Segurança Pública. Outro fato que mostra a repercussão da paralisação, foram os editoriais do Grupo RBS, que saiu em defesa do governo, atacando os policiais e o movimento paredista.

Os representantes avaliaram como bastante positivo o saldo do movimento. A pressão exercida com a paralisação fez o governo se mover, garantindo a integralização dos salários com uma semana de antecipação em relação ao calendário previsto. Além disso, a pesquisa divulgada esta semana, mostrou que o governo se desgastou ainda mais, alcançando um grande índice de rejeição da população. A população creditou na conta do governo o aumento da criminalidade e da violência, inclusive durante a paralisação, apesar da tentativa desesperada do Jornal Zero Hora que, em seu editorial, tentava convencer a população que o dia da paralisação tinha sido um dia normal no estado.

reunia0_conselho_25_08AParalisação contra o próximo parcelamento

Na parte da tarde, os Representantes discutiram a mobilização e a resposta contra o já anunciado, extraoficialmente, parcelamento do próximo pagamento. A partir da avaliação de que a mobilização do início do mês foi bem sucedida, o Conselho decidiu repetir a paralisação assim que for efetivado o parcelamento. No dia seguinte ao depósito dos salários, os policiais farão mais uma paralisação de 15 horas. Na reunião também ficou decidido que, a partir da avaliação do movimento, essa paralisação poderá ser repetida em outro dia durante o parcelamento. Além do movimento paredista, a reunião decidiu retomar a Operação Padrão até a integralização dos salários. As instruções para a Operação Padrão são as mesmas do movimento anterior (veja aqui).

Interior deve pressionar prefeitos, judiciário e candidatos

Na avaliação do Conselho de Representantes, a mobilização no interior do estado é fundamental. No movimento contra o último parcelamento, as maiores mobilizações ocorreram em cidades do interior, alcançando grande repercussão perante a população e as mídias locais. Para o próximo parcelamento a ideia é repetir a mobilização, com a realização de Atos de rua, com manifestações em frente às Agências do Banrisul, Rodoviárias e Praça Pública, mostrando para a população a política homicida do governo Sartori. A população precisa saber, que é esta política que está levando a violência para dentro das casas do povo gaúcho. Além de dialogar com a população, a recomendação é que os colegas do interior procurem as prefeituras, câmaras de vereadores e o próprio judiciário, explicando a situação e cobrando desses poderes que eles se posicionem diante da ilegalidade das ações do governo Sartori/PMDB. É importante também, que seja cobrado dos candidatos a prefeito um posicionamento claro frente às políticas do governo Sartori/PMDB, deixando claro que esse compromisso será cobrado nas eleições de outubro.