Delegacias de Taquari e Tabaí sofrem com permanência e transferência de presos

A direção da UGEIRM esteve, nesta quinta-feira (07), na cidade de Taquari, onde verificou as condições de trabalho dos (as) Policiais Civis da cidade. A direção da UGEIRM foi recebida pelos colegas, que relataram uma série de problemas que a categoria vem enfrentando em Taquari.

A cela da DP de Taquari não tem a mínima condição de abrigar presos

A cidade de Taquari não conta com uma DPPA. Portanto, a Delegacia de Polícia da cidade não conta com estrutura para abrigar presos por um tempo maior do que o necessário para os procedimentos da Polícia Civil. A única cela da delegacia não conta com banheiro e tem um espaço completamente exíguo. Quando algum preso chega na delegacia, logo se começa a busca por vaga em algum presídio da região. Como a realidade do nosso estado, hoje, é a de superlotação dos presídios, a abertura de uma vaga muito raramente acontece no mesmo dia. Com isso, os (as) policiais são obrigados a levarem o preso para a cidade de Lajeado, sede da regional a qual a cidade de Taquari está ligada e que fica a mais de 50km de distância. Quando a vaga aparece, os servidores são obrigados a ir até Lajeado, buscar o preso e, depois, transferi-lo para o presídio onde se abriu a vaga, geralmente em Sapucaia do Sul. Todo esse trâmite leva, por vezes, os policiais a dirigirem até 400 km. Além do tempo gasto, o custo com a prisão de apenas um preso chega a 50 litros de gasolina, além do desgaste das viaturas. É importante ressaltar, que esses servidores não recebem hora extra e executam esse trabalho, na maioria das vezes, fora do seu horário normal de expediente.

A solução apesentada pelos (as) policiais é simples e não demandaria nenhum custo para o estado, ao contrário, representaria uma considerável economia de tempo e de dinheiro. Taquari e a cidade vizinha de Tabaí, são as únicas cidades da região vinculadas à Vara de Execução Criminal (VEC) de Novo Hamburgo. Com isso, tanto Taquari quanto Tabaí, ficam impossibilitadas de transferir seus presos para algum presídio da região. A reivindicação dos policiais de Taquari e Tabaí é que as duas cidades passem a fazer parte da VEC de Santa Cruz do Sul, possibilitando que os presos sejam transferidos para presídios que estão localizados na região de Lajeado ou mais próximo possível. Com isso, um processo que atualmente leva dias, passaria a ser concluído em poucas horas.

A direção da UGEIRM ouviu os relatos e encaminhará a questão à Chefia de Polícia em busca de uma solução definitiva, com a transferência de Taquari e Tabaí para a VEC de Santa Cruz do Sul. O Presidente do Sindicato, Isaac Ortiz, ficou espantado com a realidade relatada na reunião. “Além da sobrecarga habitual de trabalho, esses policiais estão submetidos a uma situação absurda. O encaminhamento de um único preso, pode ocupar até três policiais durante dias. Além de significar um desgaste desnecessário, a população também é atingida, ao ter os serviços prestados pela polícia prejudicado com a redução de policiais disponíveis para o atendimento à população. Outra questão que tem que ser destacada é quanto aos gastos com toda essa operação. A cota de combustível é insuficiente para cobrir os gastos com gasolina para transferência dos presos e o estado está tendo um gasto desnecessário. Isso tem que ser resolvido o mais rápido possível”, conclui Ortiz.