Direção da UGEIRM reúne com policiais de Sobradinho e Arroio do Tigre

sobradinhositeNesta quinta-feira (21), a direção da UGEIRM Sindicato promoveu um encontro com os agentes lotados na DP de Sobradinho e Arroio do Tigre. A reunião faz parte do calendário de mobilização que prepara para a Assembleia Geral, dia 08 de junho. Os agentes manifestaram a sua preocupação com a manutenção do calendário de pagamento da tabela de subsídios, cujas parcelas em 2015 estão previstas para os meses de maio e novembro.

A ausência de previsão de reajustes na LDO para o ano de 2016 também é motivo de preocupação dos policiais que trabalham na região. A direção da UGEIRM reiterou que, sob hipótese alguma, serão aceitas modificações na tabela de subsídios e que os agentes devem manter-se mobilizados.

Promoções, horas extras e o baixo efetivo também foram tema de discussão durante o encontro. A crescente violência que atinge o estado e seus reflexos nas pequenas cidades, como aconteceu em Davi Canabarro (leia aqui), somam-se as preocupações dos colegas das duas localidades.

Sobreaviso

A questão da escala de sobreaviso é um tema recorrente em praticamente todas as reuniões que o sindicato promove com a categoria. Os colegas de Sobradinho (nove policiais) e de Arroio do Tigre (quatro) sofrem com a escala. Sobradinho atende em sua área de abrangência, ao todo, sete municípios, entre ele mesmo, Lagoa Bonita do Sul, Passa Sete, Ibarama, Segredo e Lagoão. Arroio do Tigre presta atendimento a mais dois municípios, além da sede: Estrela Velha e Ituna.

Os agentes ressaltam que a extensão territorial é muito grande e o atendimento tem que ser feito por um único policial de plantão. A situação se tornou mais complicada a partir do decreto do governo que cortou as horas extras da polícia civil em mais de 60% e suprimiu grande parte das horas extras destinadas para as duas delegacias.

“O regime de plantão de sobreaviso não encontra amparo legal em nenhuma legislação e a administração precisa encontrar uma solução para essa ilegalidade”, afirma Luis Bergamaschi, assessor jurídico da UGEIRM. Na questão do efetivo, os dois munícipios em nada se diferem das demais cidades do estado. Seria necessário dobrar o número de policiais lotados para dar conta do volume de trabalho. A direção da UGEIRM vai encaminhar as reivindicações à chefia de polícia.