Direção da UGEIRM visita cidades de Uruguaiana, Alegrete e Itaqui

A direção da UGEIRM esteve, nesta terça (13) e quarta-feira (14), nas cidades de Uruguaiana, Alegrete e Itaqui. Essas visitas fazem parte da série de reuniões com a base, que a direção do sindicato vem fazendo para discutir questões de interesse da categoria, como a PEC 32, o déficit de efetivo e a campanha pelo reajuste salarial de 12%, além de questões locais específicas.

Nas três cidades, a direção da UGEIRM apresentou as últimas informações sobre a tramitação da PEC 32 e as sérias consequências que a sua aprovação trará para o serviço público em geral e para a Segurança Pública, em particular. Além disso, o sindicato convocou todos os (as) Policiais a realizar uma grande mobilização no dia 3 de agosto. Outro ponto abordado pela direção do sindicato, foi a Campanha pelo reajuste de 12%, retomada após a publicação das Promoções. Os dirigentes da UGEIRM salientaram que, junto com o combate à PEC32, essa será a prioridade do sindicato no próximo período, pois a categoria se encontra desde 2018 sem reposição salarial, o que tem causado uma grande defasagem salarial.

Policiais Civis de Uruguaiana sofrem com aumento da demanda e estão completamente sobrecarregados

Em Uruguaiana, a situação encontrada pela direção da UGEIRM é extremamente preocupante. Com um reduzido efetivo policial, a cidade experimentou no último período um grande aumento do número de ocorrências, causando um sobrecarga da Polícia Civil, que beira o insuportável. Contando com plantões de dois policiais, trabalhando em escalas de 24X72, a delegacia local chega a registrar até seis flagrantes em um mesmo plantão. Essa situação tem levado os (as) policiais a trabalhar, algumas vezes, até 26 horas seguidas para poder concluir o trabalho a contento. Esse aumento de demanda é decorrente, entre outros fatores, do aumento significativo do efetivo da Brigada Militar, combinado com a grande extensão territorial da região, que engloba uma considerável área de fronteira.

Os (as) policiais da região colocaram como prioridade a reposição de pessoal e, emergencialmente, a retomada dos reforços de outras regiões. No entanto, a perspectiva não é das melhores para a região, a previsão de nomeações da próxima turma da Acadepol na região, é de apenas três policiais. A direção da UGEIRM se reuniu com o delegado regional e apresentou essas demandas. Quanto à escala de 12 horas, a direção da UGEIRM levará À chefia de Polícia, a retomada imediata da escala na cidade de Uruguaiana. A escala de 24 horas e desumana e não se justifica, mesmo com a falta de pessoal na região.

O Presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, ressalta que “essa situação só será resolvida de forma definitiva, quando o governo do estado estabelecer uma política permanente de reposição de pessoal. Essas situações precisam ser previstas com antecedência, possibilitando uma ação preventiva de reposição do efetivo por parte do governo. Para isso, é necessário ter um planejamento de longo prazo, com um mapeamento preciso das aposentadorias da categoria e, até mesmo, uma antecipação dos aumentos de ocorrências em cada região. Não podemos mais aceitar que policiais trabalhem 26 horas seguidas, sendo expostos a alto nível de stress. Essa situação, inevitavelmente, prejudica o serviço prestado à população”.