Filiados (as) à UGEIRM têm direito a defesas disciplinares e judiciais gratuitas

O Departamento Jurídico da UGEIRM é representado, há 11 anos, pelo Escritório Bergamaschi Advogados Associados. Com um corpo jurídico altamente especializado e gabaritado em Tribunal do Júri, Sustentações Orais frente à PGE e na atuação junto ao Conselho Superior de Polícia, o Departamento Jurídico da UGEIRM se destaca, há muitos anos, na defesa da categoria.

Essa experiência garante ao filiado da UGEIRM Sindicato, a certeza de que terá, na sua defesa, os advogados mais especializados e gabaritados nas questões relativas à Polícia Civil.

Defesa em processos disciplinares e sindicâncias exige conhecimento e experiência dos (as) advogados (as)

Para o Advogado Luís Alberto Bergamaschi, que atua nas defesas disciplinares dos filiados à UGEIRM, “não basta saber as teorias e legislações dos processos administrativo disciplinar e sindicância, ainda mais no âmbito da Polícia Civil. Nós, advogados do Bergamaschi Advogados, temos a experiência de 11 anos na atuação dentro da Ugeirm, conhecendo os fluxos e os caminhos, inclusive nas Sustentações Orais, tão importantes para estes processos”.

Os advogados Luís Alberto Bergamaschi e Guilherme Gama, estão à frente das defesas disciplinares do Departamento Jurídico da Ugeirm Sindicato.

“Somos profundos conhecedores de toda a legislação e da parte técnica administrativa, dos caminhos que são necessários. Quando atuamos em processos deste tipo, contamos com alto índice de absolvição”, explica o advogado Guilherme Gama.

Defesa no Tribunal do Júri pode custar até R$ 100 mil para policiais que não são filiados (as) à UGEIRM

Em decorrência de sua função, um policial civil corre o risco de responder, no Tribunal do Juri, por homicídios, ainda que em legítima defesa e no exercício de sua função, ou outras acusações. Para garantir uma defesa eficiente, ele terá que despender uma quantia de até R$ 100 mil de honorários advocatícios. Com a assessoria do Departamento Jurídico da UGEIRM, o policial não precisar utilizar parte de sua remuneração para pagar a sua defesa.

“As defesas em processos administrativos e sindicâncias são de alto custo, inclusive em tabela da OAB o valor mínimo é de próximo a 9 mil reais. Em um processo criminal, o custo é ainda maior. Os advogados criminalistas cobram antecipadamente, sem a garantia de que o cliente vai ser absolvido, um pagamento para iniciar o processo e ao longo do tempo outras parcelas extras”, explica Dr. Guilherme Gama.

Um exemplo, é o processo do Tribunal do Júri que o Escritório Bergamaschi Advogados está trabalhando atualmente. Nesse processo, ao qual está sendo dedicado muito tempo de estudos e perícias, o policial está sendo assistido gratuitamente, por ser um filiado da UGEIRM. O caso é de um policial civil que cometeu homicídio simples, não em legítima defesa, e o policial não precisará despender do valor de sua remuneração para ter advogados gabaritados trabalhando em seu processo.

Jurídico da UGEIRM também tem grande sucesso em processos de revisão de demissões administrativas

No Bergamaschi Advogados, temos casos de revisão da condenação por demissão que tem resultado no retorno dos policiais civis às atividades, mesmo daqueles demitidos. Administrativamente, temos feito pedidos de revisão no âmbito da Procuradoria Geral do Estado (PGE) que têm sido exitosos. Ou seja, através do nosso trabalho no Departamento Jurídico da Ugeirm, os policiais retornam e, inclusive, com o pagamento administrativo de indenização pelo período afastado do cargo.

“Esses expedientes de revisão de processo administrativo disciplinar ocorrem após uma condenação pelo Conselho Superior de Polícia ou pela PGE. O detalhe é que, nesses casos referidos, os servidores haviam sido mal assistidos juridicamente, por advogados sem experiência nesse tipo de caso. Alguns policiais eram filiados ao Sindicato, mas optaram por contratar outra banca de advocacia, com a qual não tiveram sucesso”, considera o advogado Guilherme Gama.