Governo Leite fecha 2021 com superavit de R$ 2,55 bilhões e sem reposição salarial para policiais

O Governo de Eduardo Leite conseguiu uma verdadeira façanha em 2021: um superavit de R$ 2,55 bilhões nas contas do estado. Desde 2009, essa é a primeira vez que isso ocorre. Vista dessa forma, essa seria uma ótima notícia para o nosso estado. Porém, se formos observar como esse superavit foi obtido, veremos que não é bem assim.

O superavit recorde nas contas do estado, veio acompanhado de perdas históricas no salário dos servidores públicos, incluindo os policiais civis. Desde que assumiu o governo, Eduardo Leite não concedeu nenhuma reposição salarial aos servidores públicos. O último reajuste nos salários dos Policiais Civis, por exemplo, aconteceu em dezembro de 2014, fruto de um acordo conseguido no Governo Tarso Genro, em dezembro de 2010. Na verdade, o título dessa notícia poderia ser: Governo Eduardo Leite fecha 2021 com um dos maiores arrochos salariais da história.

Mesmo com arrocho salarial, policiais garantem queda recorde em índices de violência

Apesar do descaso do governo Eduardo Leite com os salários dos policiais civis, o estado tem registrado recordes sucessivos nas quedas dos índices de violência. Desde 2018, o trabalho das forças policiais do estado foi responsável pela preservação de mais de 2.000 vidas. Esse trabalho exemplar foi realizado mesmo com os vencimentos congelados desde 2014 e com um déficit recorde no efetivo da Polícia Civil.

A 2ª Vice-presidente da UGEIRM, Neiva Carla Back, destaca que “esse superavit é uma boa notícia para o nosso estado. Porém, de nada adiantará se não for utilizado para melhorar os serviços prestados à população. Esse dinheiro foi arrecadado da população do estado e deve voltar para os cidadãos, através da melhoria nos serviços públicos. Considerando que não existem serviços públicos de qualidade com servidores mal pagos, está na hora do governo negociar uma reposição salarial urgentemente. A UGEIRM já encaminhou esse pedido de abertura de negociação ao governo e, até agora, não recebeu resposta. A categoria já chegou ao limite e não aceita continuar fazendo mais com menos. Chega a ser um acinte, lermos a notícia que o governo teve um superavit de mais de R$ 2,55 bilhões, enquanto nossos salários estão congelados há mais de três anos, perdendo a cada mês o seu poder de compra”.

O Presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, convoca a categoria para a mobilização: “a UGEIRM está realizando reuniões por todo o estado. O objetivo é prepararmos uma grande mobilização para o mês de março. Vamos às ruas, mostrar para a população que a sensação de segurança que ela está experimentando atualmente, foi conseguida apesar dos nossos salários não serem reajustados há mais de três anos. Enquanto o Governo faz caixa, os policiais continuam arriscando suas vidas, mesmo com salários congelados e com a metade do contingente mínimo para o funcionamento da Polícia Civil. Chegou a hora da categoria responder ao governo. Não vamos mais aceitar a política do fazer mais com menos”.