IBGE inicia fase preparatória do Censo 2022 nesta segunda-feira (20)

Pesquisa vai investigar itens como iluminação pública, arborização e mobilidade em todos os logradouros de áreas urbanas

Redação Brasil de Fato | Porto Alegre 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou, nesta segunda-feira (20), a Pesquisa Urbanística do Entorno dos Domicílios 2022. A investigação dá início às operações do Censo pelas ruas do país. Agentes censitários percorrerão, até o dia 12 de julho, todos os logradouros localizados em áreas urbanas nos 497 municípios gaúchos e nos mais de 5.570 municípios brasileiros.

De acordo com o Instituto, serão 22 mil servidores do IBGE nas ruas em todos o país (cerca de 1,3 mil somente no Rio Grande do Sul) observando se em cada quadra há pavimentação, boca de lobo, iluminação pública, ponto de ônibus, rampa para cadeirante, arborização, entre outros elementos. Nesta fase não serão feitas entrevistas, a coleta das informações será apenas por observação.

Os quesitos investigados servirão de subsídio para uma série de políticas públicas, envolvendo temas como saneamento básico, mobilidade urbana, inclusão social, segurança pública e meio ambiente. “A pesquisa vai ajudar as cidades brasileiras a atingir o objetivo 11 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU para 2030, que trata das cidades sustentáveis”, ressalta o coordenador operacional do Censo no RS, Luís Eduardo Puchalski.

Chamada de Pesquisa do Entorno, esta etapa do Censo também visa auxiliar na preparação do trabalho de campo dos recenseadores. Os agentes censitários supervisores farão o reconhecimento do setor, a fim de observar e apurar características significativas para o posterior trabalho do recenseador, como, por exemplo, novos logradouros, novos edifícios e melhor forma de acesso ao local.

O chefe da Unidade Estadual do IBGE, José Renato Braga de Almeida, agradeceu o apoio da Câmara de Vereadores de Porto Alegre. “Estamos contratando 13 mil pessoas para o Censo aqui no estado. É uma operação grandiosa e o apoio das autoridades municipais é fundamental. Nós precisamos conscientizar a população de, primeiro, receber o IBGE. E, segundo, prestar informações fidedignas”, disse durante lançamento da Pesquisa do Entorno na Câmara.