Latrocínios e feminicídios têm queda, mas homicídios aumentam em agosto no RS

Agosto foi um mês de queda na maioria dos indicadores de criminalidade no Rio Grande do Sul. Entre os destaques, na comparação com o mesmo mês de 2019, estão latrocínio (-60%), roubos (-41%), furtos (-35%), furtos de veículos (-37%) e roubos de veículos (-42%). Em relação aos crimes que cresceram, houve aumento em homicídios (9%), tráfico de drogas (28%) e estelionato (116%). Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (11) pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Os indicadores de violência contra a mulher também caíram: feminicídio (-50%), estupro (-19%) e lesão corporal (-6%). Titular da pasta e vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior destaca que essa redução dos feminicídios ocorre pelo quarto mês consecutivo. Além disso, no acumulado do ano, chega a 10%. Para Ranolfo, a crianção, no mês passado, de um comitê que envolve todos os poderes poderá ajudar a derrubar ainda mais esse e outros indicadores de violência contra a mulher:

— São quase duas dezenas de entidades que participam desse comitê interinstitucional. É mais uma ferramenta importante que vai nos trazer resultados positivos nessa área também.

Conforme a SSP, além disso as instituições da segurança pública ampliaram participação em campanhas de conscientização e apoio às vítimas, com reflexo positivo no aumento de denúncias, tanto por parte das mulheres quanto por vizinhos e familiares. A Polícia Civil, por exemplo, disponibilizou um WhatsApp — (51) 9 8444-0606 — para recebimento de denúncias e abriu ainda a possibilidade de registro de boletim de ocorrência de violência doméstica por meio da Delegacia Online.

Crimes em baixa

Latrocínios

O Rio Grande do Sul registrou, em agosto, quatro casos de latrocínio. Representa queda de 60% em relação aos 10 registrados no mesmo período do ano passado. É a mesma quantidade registrada no início da série histórica, em 2002.

Roubos e furtos

As ocorrências do crime de roubo (quando há violência contra a vítima) tiveram queda de 41% em agosto, com 5.822, em 2019, e 2.401, neste ano. Na soma desde janeiro, já são 14,3 mil roubos a menos. Foram 46.274 registros nos primeiros oito meses de 2019, contra 31.930 em igual período deste ano, queda de 31%.

Roubos e furtos de veículos

Um dos destaques das reduções entre os crimes patrimoniais é a queda recorde nos roubos de veículos, que em agosto chegou ao menor nível para o mês desde que foi iniciada a série histórica. Foram 529 ocorrências, 42% menos que as 923 registradas no período em 2019. Em relação aos furtos de veículos, foram 1.120 em agosto do ano passado e 696 neste ano, queda de 37%.

Ataques a bancos

Outra redução recorde foi verificada nos ataques a banco, que tanto na leitura mensal quanto no acumulado do ano atingiram o menor nível de toda a série histórica, iniciada em 2012. Em agosto, a soma de roubos e furtos a estabelecimentos bancários caiu de nove casos, no ano passado, para sete casos (-22%), neste ano. Na comparação dos totais desde janeiro, esse tipo de crime diminuiu pela metade, de 77 para 37 ocorrências (-51%).

Crimes em alta

Homicídios

Os homicídios registraram crescimento de 9% neste ano. Foram 130 em agosto de 2020 contra 119 no mesmo período de 2019. O número deste ano, no entanto, ainda é o segundo menor desde 2003, que teve 107 mortes.

O aumento no mês, contudo, não reverte o cenário acumulado desde janeiro, 6% abaixo de igual período do ano passado, quando houve 1.254 assassinatos. O total atual, de 1.172 vítimas na soma dos oito meses, é o menor desde 2008.

Tráfico de drogas

Os casos tiveram crescimento de 28%. Subiu de 1.102 para 1.412.

Estelionato

O crime foi o que mais cresceu. Passou de 2.103 para 4.546, na comparação entre agosto de 2019 com o mesmo período de 2020. O aumento é de 116%.