Mais de 80 presos lotam as delegacias da Capital e Região Metropolitana

Foto de presos na frente da DPPA de Alvorada, em setembro de 2017

Uma notícia nova para um velho problema. A situação que parece ter caído numa normalidade absurda, se repete no nosso estado. Nesta quinta-feira (07), mais de 80 presos lotam as delegacias da Capital e da Região Metropolitana do Rio Grande do Sul. Em junho de 2015, quando a UGEIRM publicou a primeira notícia protestando contra a presença de presos nas celas de delegacias gaúchas, o litro da gasolina custava R$ 3,62 e ninguém poderia imaginar que viveríamos uma pandemia que trancaria as pessoas em suas casas por mais de um ano. Seis anos depois, o preço da gasolina bate nos R$ 7,00 e as pessoas, vacinadas, voltaram às ruas, mas uma coisa não mudou: os presos continuam lotando as celas das delegacias.

De lá para cá, passamos por várias “soluções” definitivas: ônibus para abrigar presos, containers transformados em celas, inauguração de presídios, algemas em corrimão de delegacias, viaturas transformadas em celas, centros de triagens e até declarações do governador considerando o problema uma página virada. As “soluções” desafiaram a criatividade dos nossos governantes, no entanto, a situação monótona de presos amontoados nas celas das delegacias e os (as) policiais colocando suas vidas em risco, desafiam ainda mais a criatividade de quem tenta denunciar essa situação absurda.

Como vem fazendo, de forma incansável, há seis anos, a direção da UGEIRM continuará denunciando a situação e provocando as autoridades para que, finalmente, esse problema seja resolvido de forma definitiva. Duas audiências, decorrentes do processo ajuizado pela UGEIRM, já foram realizadas no poder Judiciário, reunindo o sindicato e autoridades do Executivo. Na Audiência do dia 22 de julho, o Secretário da SEAPEN, Mauro Luciano Hauschild, apresentou uma nova proposta de solução definitiva por parte do governo: a criação do NUGESP, que, segundo o Secretário, disponibilizará 790 novas vagas. Esse Núcleo contaria com toda a estrutura para atendimento de novos presos, inclusive com espaço para realização de audiências de custódia. Dessa forma, esses presos não chegariam, nem mesmo, a dar entrada nas Delegacias, com todo o processo de ingresso no sistema carcerário sendo realizado no próprio NUGESP. Além disso, o Secretário afirmou que serão criadas novas vagas no Presídio de Sapucaia do Sul.

A direção da UGEIRM louva a proposta do Governo, mas questiona o fato do NUGESP só ser inaugurado em março de 2021. Nas palavras de Fabio Castro, “a situação das carceragens das delegacias é emergencial, demandando uma ação imediata do poder público. Os policiais estão correndo riscos diários, agravados pela Pandemia da Covid-19, não podemos esperar março de 2022 para resolver esse problema. Uma mostra disso é o que presenciamos nesta quinta-feira (07): mais de 80 presos amontoados nas delegacias da Capital e da região Metropolitana”.