O 32º atraso de salários e a importância das eleições de outubro

Como virou hábito desde o início do seu mandato, o governador Sartori/MDB pagará, pela 32º vez, os salários dos servidores públicos estaduais com atraso. A previsão é de que os salários só sejam quitados completamente após o dia 20 de agosto.

Os atrasos de salários já não causam mais surpresa há algum tempo. A grande novidade neste mês, é que o governo escolheu a sua grande bandeira da campanha pela reeleição: a segurança pública. Os profissionais que lidam diariamente com a violência no estado podem achar que é uma ironia, mas não é.

De acordo com a coluna da jornalista Rosane de Oliveira, porta-voz extra-oficial do governo do estado: “Com obras escassas, salários pagos com atraso e poucas realizações a mostrar em saúde e educação, o governador José Ivo Sartori vai apostar na segurança pública como laranja de amostra de sua gestão para tentar buscar o segundo mandato”. A colunista prossegue, ressaltando que: “não que os números sejam extraordinários, mas as  estatísticas mostram que, apesar das chacinas, houve redução nos principais crimes, especialmente aqueles que mais preocupam os gaúchos, como o latrocínio”. Rosane de Oliveira só esquece de citar as delegacias com suas carceragens lotadas e presos algemados em viaturas, o déficit de pessoal, as mais de setenta delegacias gaúchas com apenas um policial, o novo cangaço que aterroriza as cidades do interior e a crise crônica do sistema penitenciário.

Sartori aprovou quase tudo que propôs na Assembleia Legislativa

Apesar do discurso, que coloca na conta da oposição a sua incapacidade de resolver a crise financeira do estado, um levantamento das votações na Assembleia mostra que o governo Sartori/MDB só foi derrotado em 0,6% das votações. O mesmo estudo, mostra que 85,8% dos projetos do governo foram aprovados pelos parlamentares. Desde o aumento de impostos, até a extinção das Fundações, o governo foi apoiado de maneira quase automática pela maioria dos deputados estaduais nos seus três anos e meio de governo. Mesmo com ampla maioria no parlamento, o governo chega ao fim do seu mandato com os salários em atraso e o risco de encontro das Folhas de Pagamento ainda esse ano.

Esses números comprovam que o projeto político do governo Sartori/MDB, que promove o desmonte do serviço público, mas mantém em dia o pagamento dos fornecedores e não mexe nos incentivos fiscais das grande empresas, que são responsáveis por retirar mais de R$ 8 bilhões dos cofres do governo, teve o apoio de vários parlamentares nesses quase quatro anos. Por isso, é fundamental que os(as) policiais civis observem com muito cuidado o posicionamento dos candidatos nas eleições de outubro. Observar o histórico dos candidatos, seus posicionamentos nas votações na Assembleia Legislativa e cobrar deles compromissos com a defesa do serviço público e da segurança pública sderá fundamental

UGEIRM vai promover debates com os candidatos

O Sindicato dos Agentes da Polícia Civil vai promover, a partir desse mês, debates com todos os candidatos a governador do estado. A ideia é apresentar aos candidatos as propostas dos policiais civis para a Segurança Pública e conseguir deles, um comprometimento com as propostas apresentadas. As datas de cada debaate, que serão realizados na sede do sindicato, serão divulgadas brevemente.

O presidente da UGEIRM, Isaac ortiz, ressalta a importância desses debates e convoca todos os(as) policiais a participar das discussões. “Além de comparecer na sede da UGEIRM, é importante que os(as) policiais também apresentem essas propostas aos candidatos ao parlamento. Sabemos que não dá mais para esperar que esse governo volte a pagar os salários dos policiais em dia, por isso temos que nos mobilizar para alterarmos a correlação de forças na Assembleia Legislativa, em favor dos servidores públicos. No próximo ano não teremos mais os reajustes da Tabela de Subsídios, aprovados no governo Tarso Genro, então será fundamental termos interlocutores na Assembleia, para que possamos travar nosssa luta por reajustes, com o próximo governo que for eleito”.

Operação Padrão é retomada até o pagamento integral dos salários

Os(as) Policiais Civis estão retomando a Operação Padrão a partir desta quarta-feira (1/8). O objetivo é mostrar para a população que, diferente do que apregoa a propaganda, a segurança pública não é, e nunca foi, prioridade desse governo Sartori/MDB. Continuar realizando Operações Policiais com salários atrasados, para servir de peça publicitária, chega a ser um escárnio desse governo.

Veja abaixo as orientações para a Operação Padrão

DPPAs, Plantões e Volantes

– Somente registros de ocorrência criminais;

– Lavratura de APF, somente com a presença da autoridade policial.

Departamentos e DPs

– Não participação de operação policial fora de horário de expediente;

– Os Agentes não devem ficar responsáveis pelo planejamento, organização e estruturação das operações policiais, essa tarefa deve ser executada pelos delegados responsáveis;

– Não participação em Operações Policiais enquanto os salários não forem integralizados;

– Após a integralização, a participação nas operações só devem se dar de acordo com as condições materiais e pessoais oferecidas, observando-se as questões legais referentes a diárias, equipamentos, pagamento de horas extras e/ou sua compensação por folga;

– Elaboração de relatórios somente pela autoridade policial

– Representação por MBAs, Prisões e Interceptações telefônicas devem ser solicitados somente por autoridade policial;

– Não publicização das Operações Policiais nas mídias, inclusive as sociais.