Policiais evitam fuga em massa de presos na delegacia de Viamão

Em revista feita nas celas superlotadas da DPPA de Viamão, policiais descobriram um buraco, quase concluído, que permitiria a fuga de 13 presos. O buraco já estava atingindo o reboco externo da parede que dá acesso à rua. Em outra cela, os presos já estavam entortando as grades externas da cela. A equipe da DPPA resolveu fazer a vistoria, após verificar o entupimento de um vaso sanitário e suspeitar que o motivo poderia ser a caliça da parede que estaria sendo jogado no vaso.

Na vistoria, os policiais descobriram, também, que os presos tentavam esconder a escavação com cobertores e roupas penduradas, além de contar com ferramentas improvisadas a partir de objetos trazidos por familiares juntamente com a alimentação, tais como copos, garrafas PET, escovas de dente, etc. De acordo com informações preliminares, no momento da ação haviam 13 presos na DPPA, sendo que um deles estava preso desde 3 de junho, ou seja, mais de um mês.

Felizmente, a competência dos policiais da DPPA de Viamão evitou mais uma fuga das celas de uma delegacia. Esssa não foi a primeira tentativa e essa situação vem se tornando cada vez mais comum. Já foram evitadas fugas em Canoas (mais de uma vez) São Jerônimo, Alvorada, etc, além de tentativas de rebelião. Essa é uma situação que não pode mais ser tolerada. E se os presos, que contavam com objetos para escavar um buraco, os usasse para tomar um policial como refém? Se ocorresse uma rebelião na delegacia, o Secretário de Segurança se responsabilizaria por essa situação? O governo Sartori/PMDB tem que parar de brincar com a vida dos policiais e da população. Uma tragédia com mortes é um cenário cada vez mais próximo de acontecer.

Na terça-feira (04), o governador anunciou, com toda pompa, um concurso para 6.000 policiais, sem data marcada e nem a garantia de convocação, que, de acordo com o secretário de segurança, dependerá da disponibilidade financeira do estado. Se o governo diz não ter dinheiro nem para pagar os salários dos policiais em dia, com certeza não terá dinheiro para contratar novos policiais. Enquanto o governador posa para as câmeras e tenta criar fatos para garantir sua reeleição, os policiais continuam trabalhando de carcereiros e as delegacias e viaturas continuam lotadas de presos, colocando a vida dos policiais e da população em risco.

Na manhã desta quinta-feira tínhamos 132 presos em celas de delegacias da capital e região metropolitana. Ouvir o governador dizendo que a segurança pública é uma prioridade do seu governo, é para deixar revoltado qualquer policial que lida com o cotidiano das delegacias. Quando uma tragédia acontecer em uma DPPA, já será tarde e de nada adiantarão as declarações sentidas e os choros e homenagens das autoridades. Uma vida que se perde não pode ser recuperada e os responsáveis por essa perda serão o governador e o Secretário de Segurança.

A UGEIRM realizará, na segunda-feira (10/7) às 14 horas, uma reunião com os policiais plantonistas das DPPAS de Canoas, Gravataí e Viamão, para discutir a situação das carceragens e as medidas que serão tomadas pelos policiais. A reunião acontecerá no auditório da DPPA Canoas. Também serão marcadas reuniões com os policiais das outras DPPAs de Porto Alegre e da região metropolitana para tratar do mesmo assunto.