Policiais participarão de Ato Público Unificado contra o Parcelamento de Salários

Na próxima sexta-feira, 29 de setembro, os Policiais Civis vão participar, junto com os demais setores do serviço público estadual, de um grande Ato Unificado no Centro de Porto Alegre. Os Policiais Civis e os servidores da SUSEPE se concentrarão em frente à Secretaria de Segurança Pública, a partir das 11h30, e de lá partirão em Marcha até o Palácio Piratini, passando pela Secretaria de Fazenda onde protestarão contra o parcelamento de salários.

O dia 29 de setembro marcará o 22º parcelamento de salários do governo Sartori/PMDB, com a grande possibilidade de não haver nenhum depósito na conta dos policiais ao fim do mês. Além de mais um parcelamento, o governo já admite que dificilmente ocorrerá novas promoções ainda este ano. A aposentadoria dos policiais ainda está bloqueada pelo parecer da PGE, que recomenda ao governo do estado o fim da aposentadoria policial. Para completar o quadro desesperador, esse mês provavelmente ocorrerá o terrível encontro das folhas de pagamento dos servidores estaduais.

Diante de todos esses ataques, os servidores resolveram fazer um grande Ato Unificado que pretende levar milhares de pessoas às ruas para protestar contra o governo Sartori/PMDB. A segurança pública também estará nas ruas, primeiro junto com os trabalhadores da SUSEPE, para protestar contra o caos da segurança pública e os ataques do governo Sartori/PMDB. Depois, a segurança pública se juntará aos demais servidores públicos e lotarão o centro de Porto Alegre, para mostrar para a população a verdadeira política de destruição que o governo Sartori/PMDB vem implementando no nosso estado.

O presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, convoca todos os policiais da capital, região metropolitana e interior: “agora é a hora de irmos para as ruas e mostrar para a população, que a violência que ela enfrenta no dia a dia, é consequência dessa política do governo Sartori/PMDB, que utiliza os policiais e a população gaúcha, para criar um clima de caos que justifique o acordo da dívida com a União, que vai acabar com o futuro do nosso estado. Não podemos chegar ao fim do mês e não ter um mísero real na conta. Vamos mostrar que não vamos trabalhar de graça, arriscando nossas vidas para sustentar a tentativa de reeleição desse governo. Na sexta-feira, dia 29, o lugar do policial é na rua, mostrando sua indignação com o descaso do governo Sartori/PMDB”.