População protesta contra violência em Porto Alegre

protesto_getulio

No sábado (26), moradores do bairro Menino Deus em Porto Alegre, fizeram uma passeata pedindo mais segurança na Cidade. O estopim para a indignação dos moradores, foi a morte do morador do bairro, Elvino Adamczuk, de 49 anos, atingido, no último dia 4, por uma bala perdida durante um tiroteio ocorrido após um assalto na região. Os manifestantes carregavam cartazes lembrando Elvino. Com apitos, eles fizeram barulho e caminharam pelas ruas do bairro pedindo mais policiamento e segurança.

Na noite de sexta-feira (25), um grupo de moradores já tinha realizado um protesto, acendendo uma fogueira na Avenida Getúlio Vargas e bloqueando o trânsito na Avenida Ipiranga por volta das 20h.

Na mesma sexta-feira, um ônibus foi incendiado na Vila Cruzeiro e o Posto de Saúde que atende os moradores da região, ficou fechado durante o fim de semana por falta de segurança. No Morro Santa Tereza, a rotina de violência já se tornou fato corriqueiro. Assaltos, tiroteios e disputas de quadrilhas de traficantes aterrorizam os moradores e comerciantes do local.

Para o Presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, “a violência se alastra por toda a cidade. Isso é resultado da política do governo Sartori que, através do Decreto 52230, contingenciou o investimento em Segurança Pública, impedindo a contratação dos concursados e o pagamento de horas extras. O resultado é que o contingente, tanto da Brigada Militar como da Polícia Civil, está completamente defasado. A falta de pessoal prejudica a atuação das forças de segurança, além de criar um clima de insegurança na população. É importante lembrar que o governo do PMDB quer eternizar este Decreto através do PLC206/2015, que já é conhecido com o PLC da morte. Vivemos no nosso estado, uma situação de epidemia de violência, onde os policiais se sentem cada vez mais desprestigiados, enquanto os criminosos se sentem mais à vontade para aterrorizar a população”.