Presos em delegacia coloca policiais e população em risco em São Jerônimo

carceragem_2dppaO caos nas carceragens chegou com força no interior. Em São Jerônimo a situação é extremamente preocupante. Após uma fuga de presos do presídio de Charqueadas, cinco presos, recapturados, foram levados para a delegacia de São Jerônimo. Esses presos estavam ameaçados de morte por uma facção rival. Como a delegacia de Charqueadas, para onde seriam levados, não estava em condições de receber os presos, eles foram levados para a delegacia de São jerônimo. Porém, essa delegacia também não tem a mínima condição de receber presos nessas condições.

A Delegacia de São Jerônimo conta, hoje, com apenas cinco policiais, sendo dois plantonistas. A cela da delegacia tem menos de dois metros e fica a três metros da recepção. A população, que procura a delegacia para registrar alguma ocorrência, chega a sentir o cheiro da cela, de tão próxima. O risco é evidente. Em caso de alguma tentativa de fuga, ou resgate, os policiais e a população estarão com sua vida em grave risco.

A delegacia de Charqueadas, para onde os presos deveriam ser levados, está em situação pior ainda. São dois policiais no expediente e um plantonista. Em alguns dias não tem nenhum plantonista. Em uma cidade que conta com seis presídios, os presos são colocados em celas de delegacias sem nenhuma estrutura e sem pessoal suficiente. Somente a incompetência total desse governo é capaz de tal proeza.

Uma catástrofe é iminente. De acordo com informações apuradas pela UGEIRM, a situação deve se repetir. A disputa entre as facções continua e uma nova fuga é bem possível. Mas, enquanto isso, o Judiciário e o Legislativo continuam sem ação. Já existe uma decisão do TJ/RS obrigando o governador a resolver a situação, retirando todos os presos das carceragens de delegacias. Porém, Sartori/PMDB dá de ombros para as decisões judiciais. O Rio Grande do Sul se tornou o parque de diversões do Sartori e seu partido, o PMDB. Os outros poderes parece que não existem mais. O Legislativo se resignou com o papel de linha auxiliar do Governo. Qual foi a última vez que se ouviu falar de alguma ação da Assembleia Legislativa? Os policiais e a população correndo risco de vida e os deputados parecem que não existem. Por outro lado, o Judiciário se conforma em tomar decisões que não são cumpridas. De que adiantam Mandados de Segurança, Agravos de Instrumentos e outros instrumentos jurídicos, se o governador Sartori/PMDB não cumpre e tudo continua como estava? Decisões judiciais que envolvem o governo do Estado se tornaram papéis sem nenhum significado. Essa é a realidade do Rio Grande do Sul de Sartori e do PMDB.