Protestos bloqueiam acesso a coordenadorias regionais de educação no RS

Protestos de alunos e professores da rede estadual de ensino contra o pacote de medidas do governador Eduardo Leite bloqueiam o acesso a coordenadorias regionais de educação (CRE) em diversas cidades gaúchas nesta sexta-feira (22). 

De acordo com o Cpers Sindicato, há manifestações em ao menos 16 municípios, onde, segundo a entidade, os serviços foram suspensos. Já a  Secretaria da Educação do Estado (Seduc) afirma que o atendimento é afetado em 11 sedes, sendo que sete estariam fechadas. Há coordenadorias em 30 municípios do Rio Grande do Sul.PUBLICIDADE

Em Porto Alegre, alguns funcionários da CRE foram para casa após a entrada do prédio na Rua André Belo, no bairro Menino Deus, ser bloqueada por uma faixa com os dizeres “Professores na luta, hoje a aula é na rua!”.

Pela manhã, o expediente na coordenadoria foi interno. A expectativa é de que o atendimento a pais e professores ocorra a partir das 13h30min, caso os manifestantes liberem o acesso ao prédio.

Com microfone, os manifestantes entoavam coros contra o projeto enviado pelo governo de Eduardo Leite à Assembleia Legislativa — que pode mudar a carreira dos professores.

— Eu defendo a educação, da rua eu não saio. A revolta que eu faço é contra o Eduardo (Leite) — gritavam os manifestantes, que logo entoaram outra reivindicação:

— Para barrar a precarização, greve geral é a solução.

Tiago Boff / Agencia RBS
Rejane Gimenez dos Santos levou cartaz para manifestação na CapitalTiago Boff / Agencia RBS

Professora em uma escola e vice-diretora em outra instituição de ensino de Porto Alegre, Rejane Gimenez dos Santos segurava um cartaz com a frase “Me chame de IPVA e me defenda com todo aquele entusiasmo. Assinado: Escola pública”.

Os dizeres são referentes ao recuo de Eduardo Leite quanto ao calendário de pagamento do IPVA 2020. O governador havia informado que o imposto deveria ser quitado integralmente, depois voltou atrás e deu a possibilidade de o contribuinte optar por pagar o imposto de forma parcelada.

— Educação é essencial. Se não tiver escola, as crianças vão pra rua. Educação é tudo nesse País — afirmou Rejane.

José Finkler / Agência RBS
Protesto em Rio Grande bloqueou acesso à 18ª Coordenadoria Regional de EducaçãoJosé Finkler / Agência RBS

Em Rio Grande, no sul do Estado, a mobilização iniciou às 6h30min desta sexta e mobilizou grupo de professores, funcionários de escolas e membros de outros sindicatos. Com faixas contra o Leite, eles bloquearam a entrada do prédio da 18ª Coordenadoria Regional de Educação. O local deve permanecer fechado durante todo o dia. 

A coordenadora da 18ª CRE, Greici Kaus, recebeu uma notificação das mãos dos manifestantes. O documento pede a retiradas dos projetos do governo do Estado. Um ato com a presença de todos os professores que aderiram ao movimento de paralisação está previsto para o fim da manhã desta sexta.

De acordo com a Seduc, os coordenadores estão recebendo as demandas dos docentes e levarão os documentos a Leite.

Coordenadorias em que o serviço foi afetado, de acordo com a Seduc*

  • Canoas (coordenadoria fechada)
  • Ijuí  (coordenadoria fechada)
  • Porto Alegre  (coordenadoria fechada)
  • Rio Grande  (coordenadoria fechada)
  • Palmeira das Missões  (coordenadoria fechada)
  • Cruz Alta  (coordenadoria fechada)
  • Gravataí (serviço parcialmente afetado)
  • Livramento (coordenadoria fechada)
  • Osório (serviço parcialmente afetado)
  • Pelotas (serviço parcialmente afetado)
  • Santa Cruz do Sul (serviço parcialmente afetado)

* Segundo o Cpers, Caxias do Sul, Passo Fundo, São Leopoldo, Santa Maria e Carazinho também têm os serviços paralisados.