RS inaugura novas salas especiais para atendimento de mulheres dentro de delegacias

Sete novas salas para atendimento de mulheres dentro de delegacias da Polícia Civil foram inauguradas nesta terça-feira (16). A iniciativa, que busca garantir mais privacidade às vítimas, é considerada uma das medidas importantes no combate à violência doméstica. Com isso, o Rio Grande do Sul passa a ter 17 espaços de acolhimento, conhecidos como Sala das Margaridas — um acréscimo de 70%. As unidades foram inauguradas em Cruz Alta, Uruguaiana, Santa Rosa, Cachoeira do Sul, Lajeado, Farroupilha e Bagé. 

Além do acolhimento às mulheres vítimas de violência, o espaço pode ser utilizado para registro da ocorrência policial, oitivas, solicitações de medidas protetivas de urgência e outros encaminhamentos previstos pela Lei Maria da Penha. A maior parte das salas — 15 delas — está localizada em Delegacias de Polícia de Pronto Atendimento (DPPAs), o que possibilita que a mulher tenha um espaço exclusivo mesmo onde não há unidade especializada. 

A abertura oficial dos locais aconteceu durante cerimônia, pela internet, respeitando o distanciamento social contra a Covid-19. 

— A mulher que passa por um momento de tamanha fragilidade, não pode estar exposta ao movimento diário de uma delegacia. Por isso, esses espaços reservados incentivam as mulheres a procurarem ajuda — afirmou a chefe da Polícia Civil, delegada Nadine Anflor. 

As salas 

A Sala das Margaridas é um ambiente reservado, acolhedor e com atendimento especializado. O projeto, que começou pela Capital no ano passado, tem como objetivo oferecer espaços preparados para acolher e encorajar mulheres no processo de rompimento do ciclo da violência. Agora, ganha força no Interior. Para isso, estão sendo criados ambientes com maior privacidade para as vítimas relatarem a violência sofrida.

— Nestes espaços também conseguimos aplicar um questionário que avalia o grau de risco que a vítima esta exposta. São informações fundamentais que ajudam a polícia a traçar um plano de proteção para essa mulher e assim evitar crimes como o feminicídio — explica a delegada Tatiana Bastos, diretora da Divisão de Proteção e Atendimento à Mulher

Pedido de socorro 
Polícia Civil / Divulgação
Campanha contra a violência doméstica
Polícia Civil / Divulgação

Durante a cerimônia online, para inauguração das novas Salas das Margaridas, a Polícia Civil também apresentou uma campanha nacional para incentivar as denúncias de violência doméstica.  

A campanha é composta por vídeo e cards  com imagens de mulheres com um “X” vermelho pintado na mão. O símbolo é um pedido de socorro que pode ser feito junto a farmácias, de forma silenciosa e sem chamar a atenção de seus agressores. 

Ao mostrar para o atendente ou farmacêutico um “X” vermelho na palma da mão – escrito com batom, esmalte ou caneta, por exemplo -, ele irá entender se tratar de uma denúncia e acionará a Polícia Militar. A iniciativa já recebeu a adesão de quase 10 mil farmácias pelo país. O projeto foi idealizado pelo Conselho Nacional de Justiça e Associação dos Magistrados Brasileiros.