Salários de setembro da Polícia Civil só serão pago em 13 de novembro

O governo do estado anunciou, nesta segunda-feira (30), o novo calendário de pagamento dos servidores públicos estaduais. As notícias são as piores possíveis para os (as) Policiais Civis. Os salários de setembro só serão pagos em 13 de novembro. Ou seja, nenhum policial civil receberá qualquer pagamento no mês de outubro. O total de dias de atraso será de 43 dias. Para piorar a situação, esse maior atraso aumenta o custo do empréstimo do Banrisul, conhecido com Banrisalários.

Entramos no mês de novembro e a promessa de campanha do governador Eduardo Leite fica cada vez mais longe de ser cumprida. Acreditar que nessa “altura do campeonato”, os salários serão colocados em dia até o final do ano, é o mesmo que acreditar que Papai Noel vai dar o ar da graça no Natal. A tendência é de piora, como vem ocorrendo mês a mês desde o início do ano.

No entanto, a cobrança por metas e produtividade continua sendo feita religiosamente, sem considerar, em nenhum momento, a situação por que passam os profissionais da segurança pública. Mesmo com um mês e meio de atraso de salários, os (as) policiais vêm mantendo a produtividade, o que vem sendo aproveitado de forma insistente pelo governo na sua propaganda, que tenta passar para a população que tudo está dentro da normalidade. Porém, um atraso salarial de 45 dias, está longe da normalidade. Isso deveria ser demonstrado nos números cotidianos da polícia, com os números do Qualificar espelhando a realidade por que passam os policiais. Por isso, não resta outra alternativa a não ser iniciar um processo para derrubar os números do Qualificar.

Trabalhadores da Segurança Pública vão protestar na cidade do Governador

Diante dessa situação limite, os Policiais Civis, os Policiais Militares e os Bombeiros Militares estão organizando uma grande manifestação para o interior do estado. No dia 8 de outubro, será realizada uma grande manifestação em Pelotas. A cidade é o berço político do governador Eduardo Leite e é constantemente citada pelo governador como exemplo da sua capacidade administrativa. Infelizmente não é isso que temos visto no governo do Rio Grande do Sul.

A manifestação, que terá sua concentração às 13 horas no Chafariz “As Três Meninas”, no Calçadão de Pelotas, e prosseguirá com caminhada até a Câmara dos Vereadores, faz parte de uma série de mobilizações das entidades da Segurança Pública. A ideia é realizar atividades em cidades polos do interior do estado, para dialogar com a população e demonstrar o estado precário que se encontra a segurança pública gaúcha, com atraso de salários, ataques às aposentadorias, déficit de efetivo e péssimas condições estruturais. Além das atividades públicas, será realizada uma grande articulação com as Câmaras de Vereadores e Prefeituras, com o intuito de demonstrar como esses ataques do governo do estado prejudicam os municípios do interior, levando insegurança e crise econômica para essas cidades.