Sartori encontra dificuldades para aprovar tarifaço, mobilização dos servidores será decisiva

Foto_votacao_LDO_capa

O Governador Sartori passou o fim de semana tentando articular com a base aliada para não ser derrotado nesta terça-feira (22). Sua proposta de aumento de impostos tem encontrado grande dificuldades para ser aceita pela sua própria base na Assembleia. Partidos como o PDT e o PP tem se mostrado arredios a proposta de aumento do ICMS. Por outro lado, a pressão dos servidores tem acuado politicamente o governador. Os desfiles do 20 de setembro foram uma mostra do estado de ânimo da população. Arquibancadas vazias e protestos foram a marca das comemorações da Semana Farroupilha nesse ano.

Mobilização dos servidores pode ser fator decisivo

Dentro de um quadro de confusão política, a mobilização dos servidores e a pressão sobre os deputados nas suas bases eleitorais tendem a ser decisivos na votação desta terça-feira. A unidade demonstrada até agora pelos servidores tem sido o fato novo na conjuntura política do Rio Grande. A grande capacidade de mobilização e articulação, demonstrada na terça-feira passada, quando fecharam a Assembleia Legislativa, obrigando o adiamento da votação da primeira leva de projetos do Governo Sartori, demonstrou que não se pode mais fazer política no nosso Estado sem levar em conta os movimentos sindicais.

Porém, Sartori demonstra que assumiu com um objetivo claro: desmontar o Serviço Público e privatizar o que puder. Para isso tem usado de todas as armas, chantagens, caos na segurança pública, pressão sobre os deputados, fechamento das galerias da Assembleia Legislativa e tudo mais que estiver ao seu alcance. A população demonstra seu descontentamento, apesar dos meios de comunicação, misteriosamente, não divulgarem nenhuma pesquisa de opinião sobre o governo estadual, o ânimo das ruas mostra o que a população acha do governo Sartori: um verdadeiro desastre.

Para o Presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, “agora é a hora dos policiais demonstrarem seu descontentamento e irem às ruas para defender seus salário e seus empregos. Nossa tabela de subsídios está em risco, as promoções serão proibidas, as contratações canceladas e a segurança da população estará cada vez mais ameaçada. Se não derrotarmos Sartori nesta terça-feira, será muito difícil barrarmos o PLC206/2015, que congela os salários dos servidores e desmonta o serviço público. Por isso, todos os policiais tem o dever de estar na Praça da Matriz amanhã. Agora é a hora de derrotarmos o Governo Sartori. Depois pode ser tarde demais”.