Trabalho exemplar dos (as) Policiais Civis tem que ser reconhecido pelo Governo

Os números da Polícia Civil em março não deixam dúvidas: a categoria vem trabalhando e produzindo de forma exemplar. Tanto em relação ao efetivo real, quanto ao reconhecimento do trabalho por parte do governo do estado. Somente em março, foram 32 operações policiais (média de mais de 1 por dia), 1.124 prisões (média de 36 por dia), 330 armas apreendidas (média de mais de 10 por dia), 1.152 MBAs cumpridos (média de 37 por dia), 15.027 indiciamentos (média de 484 por dia). Além desses números, a eficiência do trabalho policial também não deixa dúvidas. O índice de elucidações de latrocínios foi de 100%, em relação aos homicídios o índice chega a 78,95%.

No entanto, todo esse esforço, não se reverteu em reconhecimento por parte do governo, através da publicação das Promoções da categoria. É importante ressaltar, que esses números foram alcançados em meio ao maior desastre sanitário vivido pelo país, onde esses profissionais se expuseram diariamente ao risco de contágio pela Covid-19. Além disso, esse trabalho tem sido realizado, com os Policiais submetidos às metas de produção, muitas vezes irreais, do programa Qualificar.

Não reconhecimento leva à desmotivação da categoria

Os sucessivos adiamentos da publicação das Promoções têm um efeito concreto: a desmotivação de uma categoria que vem trabalhando de forma ininterrupta desde o início da Pandemia. E, mais do que cumprir seu dever, vem fazendo seu trabalho de forma exemplar, o que tem se refletido na queda dos índices de criminalidade no estado. Infelizmente, o governo do estado só lembra desses números na hora de prestar contas à população, como forma de destacar sua política de segurança pública. Porém, na hora de demonstrar esse reconhecimento aos profissionais que são os verdadeiros responsáveis por eles, o silêncio do governo é absoluto, como se a categoria fosse invisível.

Essa invisibilidade deve levar a categoria a uma reflexão: será que a diminuição nos números da Instituição e nas metas estabelecidas, não tornariam os Policiais Civis visíveis ao governo? Após os sucessivos adiamentos das promoções, talvez seja a hora dos (as) Policiais Civis mostrarem, ao governo, a diferença entre uma categoria motivada e profissionais sem motivação e sem reconhecimento. É hora de diminuir a produção.

No dia 21 de abril, comemoramos o Dia do Policial Civil. Nessa data, já se tornaram comuns os discursos de parabenização aos Policiais Civis, por parte do governo do estado. Reconhecendo, com palavras, o belo trabalho realizado historicamente pela Instituição. No entanto, o melhor reconhecimento por parte do governo, não são as belas palavras do governador e sim ações concretas, como a assinatura da publicação das Promoções da categoria e a convocação dos aprovados no último concurso da Instituição. O melhor presente que a categoria poderia receber no seu dia, seria a edição do Diário Oficial do Estado com a listagem das Promoções da Polícia Civil.