UGEIRM encaminha Ofícios ao Governador e ao Líder do Governo sobre Promoções e recomposição do efetivo

A direção da UGEIRM, em conjunto com as direções da ABAMF, da ASSTBM (entidades representativas da Brigada Militar), da AMAPERGS (Policiais Penais), Sindiperícias (IGP) e ABERGS (Bombeiros Militares), encaminhou, nesta quinta-feira (21), Ofícios ao Governador do Estado, Eduardo Leite, e ao Líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Frederico Antunes, reivindicando a abertura de negociações para a resolução de dois assuntos que são fundamentais para as categorias nesse momento: a publicação das promoções dos trabalhadores da Segurança Pública e a recomposição do efetivo das instituições, através da convocação dos (as) aprovados (as) nos últimos concursos públicos.

Veja, abaixo, a íntegra dos Ofícios enviados:

Ao
Excelentíssimo Senhor
Eduardo Leite (Governador do Estado do Rio Grande do Sul)

Excelentíssimo Senhor Governador:

Encaminhamos a Vossa Excelência o presente ofício com o intuito de buscar a interlocução junto ao governo do estado na solução de dois assuntos que, no momento, são imprescindíveis a todos operadores de segurança pública do RS, as promoções e a recomposição dos quadros através do chamamento dos concursados. As razões são as que seguem:

A pandemia de covid-19 por certo mexeu significativamente na normalidade de toda sociedade e suas instituições, nas quais estão inseridas as signatárias desse documento.

Essas modificações da rotina na estrutura social exigiram uma série de adaptações e superação de grandes dificuldades trazidas com a pandemia global, algumas das quais, em estado de normalidade, já vinham sendo enfrentadas, mormente a sobrecarga de trabalho em razão do déficit histórico de efetivo dos órgãos de segurança.

Mas para além dos problemas estruturais, a crise sanitária também, de uma forma geral, abalou a saúde psicológica de todos e, muito mais dos trabalhadores da segurança pública, os quais por uma série de fatores, já estão submetidos ao estresse cotidiano decorrente de suas atividades.

Aliado a tudo isso, o passado recente de atraso e/ou parcelamento dos salários e um conjunto de medidas que retiraram direitos desses trabalhadores, criou um clima de incertezas e descontentamento significativo.

Entretanto, apesar do acima citado, as forças de segurança seguiram cumprindo seu papel de forma ininterrupta e, apesar de a possibilidade de contágio ser mais um grave fator de risco da atividade, os números positivos de redução dos índices de criminalidade não deixam duvida da capacidade e competência de cada mulher e homem que compões os quadros de nossas instituições.

Desta forma, nada mais justo que os operadores da segurança pública tenham o merecido reconhecimento de seu trabalho, sendo o caminho para a individualização de seus esforços a progressão funcional através das promoções.

Ainda, pelo já referido anteriormente, solicitamos que sejam convocados todos os aprovados em concursos públicos na área de segurança pública e, dada a gravidade da falta de efetivo, dos aprovados excedentes, como forma de amenizar o déficit histórico no segmento e, por consequência, a sobrecarga de trabalho daqueles que mesmo nas maiores adversidades seguem fazendo da segurança pública do Rio Grande do Sul, exemplo de profissionalismo, o que se reflete na diminuição dos índices de criminalidade.

Cordialmente,