UGEIRM exige abertura de negociação para recomposição salarial na Polícia Civil

A direção da UGEIRM está exigindo do governo Eduardo Leite, que sejam abertas negociações para a recomposição salarial da categoria. O primeiro passo, é a manutenção da equiparação salarial entre os Comissários de Polícia e os Capitães da Brigada Militar. Com a reestruturação da carreira da Brigada Militar, a tabela de subsídios criada para a instituição redundou em um significativo reajuste nos vencimentos dos Policiais Militares, particularmente para os Capitães. Historicamente, existe uma simetria entre os salários das duas classes, que se estende a toda Tabela de Subsídios da categoria. O que os (as) Policiais Civis exigem, é que seja mantida a equiparação entre as duas categorias, com uma readequação de toda a tabela de subsídios da Polícia Civil.

Para além da manutenção da equiparação com a Brigada Militar, o sindicato quer abrir uma verdadeira mesa de negociação salarial com o governo. Para isso, a UGEIRM está reunindo com as outras entidades da Polícia Civil, como o Sinpol e a ACP, para apresentar uma proposta conjunta ao governo. Não é possível que uma categoria que exerce seu trabalho com toda dedicação, sendo responsável pela redução de todos os índices de criminalidade no estado, apesar dos cinco anos de atraso salariais e dos ataques à sua aposentadoria, continue acumulando perdas salarias significativas, como vem ocorrendo no nosso estado.

Os Policiais Civis não estão reivindicando aumento salarial, mas sim uma recomposição salarial que garanta a manutenção do poder de compra dos seus vencimentos. Investir nos profissionais da Segurança Pública não é gasto, mas sim um investimento que vai resultar em mais segurança para a população e menos vidas perdidas para a violência.