Ugeirm lança campanha pela modificação da escala de plantão

A escala de plantão de 24/72h é desumana. Uma nova visão das Polícias também exige mudanças em seu sistema de trabalho.

Conforme a Ugeirm Sindicato anunciou no Jornal lançado esta semana, uma nova campanha deve movimentar a Polícia Civil. Os plantonistas das Delegacias de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) querem o fim da escala de 24 por 72 horas, que sobrecarrega o cotidiano dos servidores. A exemplo do que foi feito em outras cidades do Interior, mudar para escala de 12 horas daria mais agilidade e reduziria a sobrecarga dos policiais, uma vez que o plantão da DPPA está exaustivo.

Todas as delegacias que ainda tenham escala de 24 por 72 horas, entrem em contato com a Ugeirm para agendar uma visita e conversar sobre a viabilidade da alteração para o plantão de 12h.

As novas leis como a Lei Maria da Penha, os novos Códigos de Trânsito e de Armas tornaram o trabalho do plantão mais complexo e muito mais moroso. Isto acarreta um enorme acúmulo de serviço. Para amenizar a situação, é necessário, pelo menos, dobrar o número de policias plantonistas.

O Secretário de Segurança também considera a escala de plantão 24 por 72 horas um absurdo “Não é eficiente para ninguém esses plantões de 24 horas, ninguém ganha com isso”, afirmou Airton Michels aos diretores da Ugeirm, no dia 7 de julho.

A Ugeirm já encaminhou a pauta à SSP/RS. O PL 217/05 alterou dispositivos da lei 8.178/86 e possibilita a redução dos plantões policiais para 12 horas por opção do chefe imediato.

Os agentes estão sujeitos a excessos de trabalho e até dificuldade em se ausentar da delegacia para almoçar e jantar. O desgaste causa problemas de saúde, devido ao longo tempo de estresse e tensão que os policiais são submetidos. A falta de efetivo nas delegacias também aumenta o problema. Melhorar as condições de trabalho dos policiais para um plantão mais humano permite atendimento com mais qualidade à população.

A Ugeirm defende que a PC deve priorizar o serviço de plantão disponibilizando mais servidores para preencher a deficiência de pessoal desse setor e adotar a escala de 12 horas. É desumano obrigar um trabalhador permanecer 24 horas ininterruptas trabalhando. Perde o servidor, a PC e a sociedade.