UGEIRM participa de reunião da Frente em Defesa do Serviço Público 

Frente_Servico_Publico
Foto: Rubem Rocha

A diretora da UGEIRM Neiva Carla representou o sindicato na primeira reunião de trabalho da Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público da Assembleia Legislativa, na tarde desta segunda-feira (15). Coordenada pela deputada Stela Farias (PT), a Frente recebeu diversas entidades sindicais que mostraram suas preocupações sobre o pacote do governo Sartori, lançado este mês, e a respeito da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LD0), cujo prazo para apresentação de emendas encerra essa semana. Assessores técnicos da bandada do PT apresentaram a visão da bancada sobre os 11 projetos e três decretos propostos no pacote.

De acordo com a deputada Stela Farias, a proposta de pacote enviado pelo governo é o começo da retomada de um projeto de desmonte do Estado. “É apenas um aperitivo do que teremos que enfrentar.” Para combater esta proposta, ela adianta que vai ser montada uma agenda política de mobilização, nos próximos dias, unificando todas as categorias contrárias ao pacote. Além disso, a Frente e a bancada do PT vão se unir às mobilizações já programadas por várias categorias.

A parlamentar recorda que, no governo passado, houve a defesa do Estado necessário, aquele que presta a melhor qualidade de serviço público estadual. “Na época, recuperamos as funções públicas. Não melhoramos nem qualificamos salários, pura e simplesmente, porque tivemos nossas bases no serviço público, mas porque havia uma visão estratégica de que os servidores e a qualidade do serviço público são peças fundamentais na estrutura de recuperação do desenvolvimento do Rio Grande do Sul”.

Categorias 
Mais de duas dezenas de sindicatos estiveram representadas na reunião da Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público. Professores, policiais militares e civis, servidores da Saúde, das fundações e outras categorias se manifestaram durante o debate, realizado na Assembleia Legislativa. Na área da Segurança Pública, foi informado que, na próxima quinta-feira (18h), a partir das 10h, uma audiência pública vai ser realizada no teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa, quando estará em discussão a crise nessa área instaurada desde o começo do ano.

O presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários, Flávio Berneira afirmou que o pacote afeta, profundamente, todas as áreas. Para ele, há uma precariedade no número de servidores em todo o Estado e isso se acentua, por exemplo, com a não nomeação de aprovados em concursos públicos, bem como com inexistência de novos concursos. “A LDO e o pacote nos preocupam, a partir dos limites impostos pelo governo estadual. É um caminho muito perigoso o que nos é apresentado pelo governo, pois indica uma precarização sem precedentes dos serviços públicos prestados no Rio Grande do Sul”, acentuou o dirigente.

A diretora do Semapi/RS (Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Periciais, Informações e Pesquisas e de Fundações Estaduais do RS), Mara Feltes afirmou que, “mais do que afetar aos servidores de diversas categorias, o pacote do governo atinge a sociedade”. Segundo ela, o pacote atinge o trabalhador e “sem servidor não há serviço público. É necessário alertar a sociedade que clama por saúde, educação e segurança que as medidas do governo estão atacando o serviço público. O governador traz à tona uma proposta antiga, do tempo em que era líder do governo na Assembleia. O povo pode esquecer, mas nós, trabalhadores não”, recorda a sindicalista.

Representando os professores estaduais, o secretário geral do Cpers/Sindicato, Edson Garcia disse que a mobilização de diversas categorias em torno do assunto é bastante positiva, “no momento em que há um movimento conjunto, unificando a luta. Este pacote é o início de outros que virão”. Garcia teme que, se outras retaliações ocorreram, vindas de novos pacotes, “teremos um grande prejuízo para a educação no Rio Grande do Sul.”

Fonte: Roger da Rosa – Agência de Notícias da ALERGS