UGEIRM participará de ato em Brasília em defesa da Aposentadoria Policial

A próxima terça-feira (21) será mais um dia de protesto dos policiais, contra a reforma da Previdência e em defesa da aposentadoria policial. Delegações com Policiais Civis, Federais e Rodoviários Federais de todo o país tomarão a Capital Federal, para pressionar os parlamentares que estarão debatendo as propostas da reforma da Previdência. O objetivo é convencer os deputados a reconhecer as especificidades da categoria, mostrando o óbvio que é o risco de morte e as condições permanentes de stress enfrentadas pelos (as) policiais, o que faz a profissão ser reconhecida pela ONU como a segunda mais perigosa no mundo inteiro.

Para isso, a UPB elaborou uma Emenda ao projeto do governo, visando assegurar regras justas de aposentadoria aos trabalhadores da segurança pública. O objetivo é reverter os ataques contidos na proposta original enviada pelo governo Bolsonaro ao Congresso Nacional. A Emenda prevê a manutenção das atuais regras de integralidade e paridade das aposentadorias, inclusive das pensões, estendendo esses direitos aos novos policiais. No texto, também ficam garantidas as regras diferenciadas para as mulheres policiais e as regras de transição para os atuais trabalhadores civis da segurança pública nos mesmos moldes da proposta elaborada para os militares.

40 policiais civis gaúchos estarão em Brasília para defender a aposentadoria policial

Quarenta Policiais Civis gaúchos (as) estarão representando a categoria em Brasília. Após a recusa do governo em rediscutir pontos da reforma que prejudicam diretamente os policiais, como a regra de transição, inexistente para os policiais, a não diferenciação de idade mínima entre homens e mulheres policiais, a diferença das alíquotas de contribuição entre civis e militares e a alíquota extra de até 8% dos servidores públicos, a UPB (união dos Policiais Brasileiros) aposta todas as fichas na pressão sobre os parlamentares que discutirão a reforma no Congresso Nacional.

Para o Presidente da UEIRM, Isaac Ortiz, que estará entre os manifestantes em Brasília, “esse é o momento para garantirmos nossos direitos. Os parlamentares já tem mostrado que são suscetíveis a pressão das suas bases, por isso é fundamental colocarmos a pauta da segurança pública em evidência. E nada melhor do que fazermos um ato significativo na Capital Federal, com milhares de policiais ocupando a Praça dos Três Poderes e gritando bem alto que não aceitarão que seus direitos e a sua dedicação no combate à violência não seja reconhecido pelo Governo e pelo Congresso”.