UGEIRM repudia demissão de funcionários da Carris que participaram de paralisação

carris

A direção da Carris demitiu, por justa causa, cinco funcionários que participaram da paralisação de segunda-feira (3). Os funcionários se negaram a liberar os ônibus, com a alegação de falta de segurança no trabalho. Os rodoviários têm sido vítima de assaltos diários, fruto da política de desmonte da segurança pública, promovida pelo governo Sartori. Desde o início do ano esse tipo de crime tem aumentado substancialmente. Somente no mês de julho foram 27 assaltos a ônibus da empresa. Especialmente as trabalhadoras têm sofrido nesses ataques, pois os assaltantes costumam mandar que elas tirem peças de roupas para depois passarem as mãos em suas partes íntimas, tudo na frente de passageiros.

No dia da paralisação, o diretores da UGEIRM, Fábio Castro e Cládio Wohlfahrt, estiveram presentes na porta da garagem para prestar solidariedade aos trabalhadores da Carris. Para Fábio Castro, “é um verdadeiro absurdo que a prefeitura, ao invés de garantir a segurança dos trabalhadores, puna quem está defendendo a segurança da população. É uma irresponsabilidade trafegar com ônibus sem a mínima segurança, colocando em risco a integridade física de trabalhadores e da população. A UGEIRM repudia veementemente esse tipo de postura da prefeitura e se solidariza com os trabalhadores da Carris. Através do nosso movimento vamos denunciar a atitude do prefeito José Fortunati”.