UGEIRM se reúne com presidência da AJURIS para discutir crise na segurança

reuniao_ajuris2

Na tarde desta quinta-feira (25), a direção da Ugeirm se reuniu com a presidência da Ajuris (Associação dos Juízes do RS) para discutir a crise da Segurança Pública no nosso estado. A reunião, que partiu de um pedido da Ugeirm, aconteceu na Sede da Associação dos Juízes.

O presidente da Ajuris, Gilberto Schäfer, se mostrou bastante preocupado com a atual situação da segurança pública no RS. Relatando que hoje é rara a semana em que não fica sabendo de algum caso de violência com pessoas próximas ao seu convívio. Outro ponto levantado pelo dr. Gilberto Schäfer, foi em relação a situação precária do sistema carcerário no nosso estado. O presidente da Ajuris externou a preocupação com a inauguração do novo presídio de Canoas, temendo que o novo presídio possa vir a se tornar um novo Presídio Central. “Parte do Complexo Prisional de Canoas está para ser inaugurada, e nos preocupa a forma como essas 390 vagas serão ocupadas. Deve haver um cuidado para não permitir o controle das facções lá, para que Canoas não se torne uma extensão do Presídio Central”, alertou o presidente da AJURIS.

O presidente da Ugeirm, Isaac Ortiz, relatou ao dr. Gilberto Schäfer a avaliação do sindicato sobre a atual situação da segurança pública no RS, ressaltando o total desaparelhamento da polícia civil para enfrentar o aumento da criminalidade no nosso estado. Ortiz relatou que em mais de duzentos municípios do RS as delegacias contam com um ou dois policiais. Sendo que a situação tende a piorar, com a recusa do governo Sartori/PMDB em contratar novos policiais e a queda acelerada do efetivo da polícia. Além disso, a polícia convive hoje em dia com uma situação de total falta de incentivo, com as promoções congeladas desde o início do ano passado, horas extras não pagas e diárias atrasadas, acarretando em um grande descontentamento entre os policiais.

Isaac Ortiz também falou sobre a situação absurda da permanência de presos nas carceragens das DPPAs da capital, às vezes com mais de 20 detentos permanecendo por vários dias em celas que comportam três presos temporariamente. Isso representa um grave risco para os policiais que trabalham nessas delegacias e para a população que recorre às DPPAs para registrar alguma ocorrência. A Ugeirm lembrou que essa é uma situação inédita no nosso estado, que sempre foi um exemplo para o resto do país por não abrigar presos em delegacias.

Ortiz ressaltou também o atual clima de medo que vive a população gaúcha, em particular na capital e região metropolitana, onde as pessoas evitam sair às ruas, alterando a sua rotina para não se submeterem à violência que vem dominando o nosso estado. O representante da Ajuris se colocou à disposição para qualquer ação em defesa da segurança no nosso Estado, ressaltando que a segurança pública é um direito que é pressuposto para o exercício de todos os outros direitos. O dr. Gilberto Schäfer encerrou fazendo votos de que o governo do Estado se torne protagonista na luta pela recuperação do RS e no combate ao aumento da violência.