Ugeirm Sindicato denuncia superlotação nas delegacias e alerta gravidade da pandemia

17/03/2021 | 14:04 | Correio do Povo

Entidade de classe quer providências imediatas e defende vacinação dos servidores da segurança pública.

A Ugeirm Sindicato denunciou novamente a superlotação nas delegacias e alertou para o perigo em que os policiais civis estão expostos ao recrudescimento da pandemia do novo Coronavírus que deixa o Rio Grande do Sul em bandeira preta. “Um dos casos mais graves, é da DPPA de Canoas, na Região Metropolitana. Na manhã desta quarta-feira, eram 22 presos na carceragem da delegacia. Uma situação absurda, considerando o atual estágio da pandemia no estado, particularmente na Região Metropolitana. Com a nova variante do Coronavírus, que tem um poder de contágio mais de duas vezes maior, isso é flertar com a possibilidade de uma explosão de casos na cidade”, manifestou-se a entidade de classe nas redes sociais.

“Concentrar presos, que normalmente não usam máscaras, em um local fechado, sem nenhuma ventilação, com espaço reduzido, é convidar que o vírus se propague de uma forma absurda. Essa propagação pode se espalhar pela cidade, afinal, os policiais voltam para suas casas ao final do seu plantão”, protestou a entidade de classe.

A direção da Ugeirm Sindicato lembrou ainda que a Justiça já determinou o esvaziamento de todas as carceragens das delegacias do Estado. “Mas, parece que as decisões judiciais, assim como a bandeira preta, não valem para os policiais civis. A situação atual é uma prova disso. A sociedade, o Judiciário, o Legislativo e o Ministério Público precisam tomar uma atitude urgente. Se a vida dos (as) policiais civis não consegue sensibilizar as pessoas, talvez a possibilidade de um agravamento ainda maior da pandemia seja capaz de fazer alguém tomar alguma providência imediata”, acrescentou.

Somente na semana passada, a categoria registrou a morte de seis agentes em decorrência da Covid-19. “Com a nova variante do novo coronavírus, a P1, a realidade se tornou ainda mais alarmante. Manter essa quantidade de presos nas delegacias, é potencializar uma catástrofe que já está acontecendo no nosso Estado. Esses profissionais continuam convivendo com delegacias sem restrição de acesso, com celas lotadas de presos e sem vacinação a vista”, advertiu a Ugeirm Sindicato.

CARREATA

No próximo dia 22, às 10h, a Ugeirm Sindicato vai promover a “Carreata em Defesa da Vida. Vacina Já”, com saída do Monumento ao Laçador, na Zona Norte de Porto Alegre. A manifestação presta homenagem aos policiais civis mortos por Covid-19 e a imunização imediata dos servidores da segurança pública.