Um Dia da Polícia com muito pouco a comemorar

No dia 21 de abril é comemorado, em todo o Brasil, o Dia da Polícia. Aqui no Rio Grande do Sul, temos muito pouco a comemorar. Talvez passemos pela maior crise dessa instituição em toda a história do Rio Grande do Sul. Salários parcelados, promoções atrasadas, estrutura completamente sucateada, policiais desmotivados tendo que fazer o trabalho de dois e ás vezes até três policiais, por causa da falta efetivo. E toda essa situação tem um responsável: o governador Sartori/PMDB.

Desde que assumiu, o governador tem se esforçado para destruir a segurança pública do nosso estado. Os investimentos chegaram próximos de zero. Mesmo com todo esse ataque, os policiais tem, na medida do possível (e muitas vezes do impossível), mantido o atendimento à população. Porém, mesmo os melhores dos profissionais têm os seus limites. E a polícia civil gaúcha está chegando nesse limite. Em reuniões convocadas pela UGEIRM, e realizada em todo o Estado, os policiais aprovaram, entre outras propostas, o indicativo de greve contra o parcelamento dos salários e pela retomada das promoções. Por todos os cantos do Rio Grande do Sul, os policiais deixaram claro que não é mais possível aguentar essa situação. Ou o governo muda a sua política, ou os policiais serão obrigados a parar para defender a segurança do nosso Estado.

Na próxima semana, a UGEIRM estará lançando uma cartilha com as deliberações das reuniões realizadas em todos os departamentos e nas várias cidades do interior. Nela será explicitada a política do sindicato para enfrentar os ataques do governador Sartori/PMDB. Entre as deliberações, temos o indicativo de greve, a operação padrão, a não participação nas operações e várias outras formas de luta da categoria. Nesta semana, a UGEIRM também lançou a campanha SEM PROMOÇÕES, SEM OPERAÇÕES. Com essas ações, os policiais vão unificar a sua atuação e exigir do governo do estado o respeito que a polícia merece, com salários em dia e a colocação das promoções em dia. Infelizmente, nesse dia 21 de abril, que seria o dia da polícia e o dia em que seriam publicadas as nossas promoções, teremos que continuar na luta ao invés de estarmos comemorando e celebrando. Mas isso tudo tem um responsável e é dele que os policiais vão cobrar: o governado José Ivo Sartori do PMDB.