63ª Feira do Livro de Porto Alegre: Montagem da Feira movimenta o Centro da Cidade

Quem passeia pelo Centro de Porto Alegre já percebe as primeiras estruturas metálicas sendo instaladas na Praça da Alfândega misturando-se com a tradicional paisagem. Trata-se do início da montagem da 63ª Feira do Livro de Porto Alegre, que neste ano ocorre de 1º a 19 de novembro. Segundo Eduardo Bergallo, engenheiro responsável pela infraestrutura do evento literário, nesta semana em torno de 20 pessoas trabalham na produção. “Esse número cresce a partir da terceira semana, e estima-se cerca de 500 pessoas trabalhando nos últimos dias”, diz. A montagem começou a ser realizada no dia 4 de outubro.

Entre as principais mudanças para a edição de 2017 estão a praça de alimentação, que passou a ser instalada na Avenida Sepúlveda ao lado do Margs, e o Teatro Carlos Urbim, que agora está localizado ao lado do Memorial do Rio Grande do Sul. “Como neste ano trouxemos toda a Feira para dentro da Praça, tivemos que fazer alguns ajustes no layout. Teremos também duas Praças de Autógrafos, uma em frente da outra e a volta de um trecho da Rua da Praia em frente às obras do Centro Cultural da Caixa”, explica Bergallo. A área total da Feira este ano é de 7 mil m², sendo 5 mil m² de área coberta.

Por se realizar em uma praça central em que o piso de pedras portuguesas é tombado pelo Patrimônio Histórico e há grande circulação de pessoas, os cuidados são redobrados. Por exemplo, não é permitida a circulação de qualquer tipo de veículo no interior da Praça. “Não se pode apoiar ou danificar os equipamentos da Praça, como bancos, postes, cercas, lixeiras e canteiros. Há penalizações previstas no regulamento da Feira para quem infringir estas regras”, afirma Bergallo. Há 13 anos a Feira possui Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPPCI).

As montagens de infraestrutura geralmente se encerram um dia antes do começo da Feira. Alguns estandes de patrocinadores e barracas de venda de livro costumam terminar no dia da abertura.

Sobre a Feira do Livro de Porto Alegre

A Feira do Livro de Porto Alegre foi inaugurada em 1955 por incentivo do jornalista Say Marques, diretor-secretário do Diário de Notícias, junto aos livreiros e editores da cidade. O evento é considerado referência no país por seu caráter democrático e pela consistência do trabalho que desenvolve na área da promoção da literatura e da formação de leitores. Realizada desde sua primeira edição na Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha, a Feira é dividida em Área Geral, Área Internacional e Área Infantil e Juvenil. Centenas de escritores, ilustradores, contadores de histórias e outros profissionais participam do evento, que conta com sessões de autógrafos, mesas-redondas, oficinas, palestras e programações artísticas, entre outras atividades. Alguns desses eventos são realizados no Memorial do Rio Grande do Sul, Santander Cultural, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo e Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa.

Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu a medalha da Ordem do Mérito Cultural, concedida pela Presidência da República, que a reconheceu como um dos mais importantes eventos culturais do Brasil. Um ano antes, havia sido declarada bem do Patrimônio Cultural Imaterial do Estado e, em 2010, foi o primeiro bem registrado, pela Prefeitura de Porto Alegre, como integrante do Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial da cidade.

A 63ª edição ocorre de 1º a 19 de novembro de 2017 e, entre os destaques da programação, estão Conceição Evaristo, Otavio Jr., Daniel Munduruku, Sergio Vaz, Ondjaki, Ricardo Araújo Pereira, Rosana Rios e Manuel Filho, entre dezenas de outros convidados, além de uma delegação de doze autores dos países nórdicos, região homenageada pelo evento. Todas as atividades têm entrada gratuita.

Sobre a Câmara Rio-Grandense do Livro

A Câmara Rio-Grandense do Livro é uma sociedade civil sem fins lucrativos, que tem por objetivo unir entidades e empresas que trabalham pelo livro, promovendo sua defesa e seu fomento, a difusão do gosto pela leitura, a formação de leitores e o fortalecimento do setor livreiro. A entidade conta com mais de 140 de associados, entre editores, livreiros, distribuidores e outras instituições que se dedicam à produção, à comercialização e à difusão do livro, todas com sede ou filial no Rio Grande do Sul.

Fonte: www.sul21.com.br