Operações Policiais devem ser revistas para não colocar a vida dos policiais em risco

A última semana foi extremamente difícil para os (as) Policiais Civis gaúchos (as). Quando perdemos um (a) dos (as) nossos (as), além da dor, repensamos tudo que temos feito. Após a morte do colega Edler Gomes dos Santos, o sindicato levantou, novamente, a necessidade de rediscutirmos a forma como temos realizado as Operações Policiais. Afinal, nos últimos três anos, a Polícia Civil perdeu os colegas Rodrigo Wilsen, Leandro de Oliveira e Edler Gomes. Não podemos tratar isso como algo comum. É o momento de partirmos para a ação. Somente através de nossos atos, poderemos evitar que novas mortes ocorram.

A UGEIRM já vem questionando as Operações Policiais e a grande pressão por metas sobre os (as) Policiais, que já vem se prolongando através dos últimos governos. Agora chegamos ao limite. Não podemos esperar que uma nova tragédia aconteça, pois isso significaria a perda de mais uma vida de um (a) policial.

Nessa semana, os (as) Policiais da 3ª DPRM (Delegacia de Polícia Regional Metropolitana) se reuniram e tomaram a decisão de não participar de Operações Policiais, enquanto os salários estiverem em atraso, os coletes vencidos e sem horas extras compatíveis. Além disso, entre outras deliberações, decidiram somente participar de operações regionalizadas. Inspirados por essa importante iniciativa, a direção da UGEIRM está orientando os (as) policiais a realizarem reuniões em suas delegacias e regiões, para discutir nosso posicionamento frente as Operações Policiais. A orientação é para que, nessas reuniões, sejam debatido e deliberado a respeito das questões abaixo. As deliberações devem ser encaminhadas, através de atas, aos Delegados responsáveis e à UGEIRM.

Pontos a serem discutidos e deliberados:

– A não realização de Operações enquanto os salários não estiverem pagos;

– A não participação de Operações enquanto não tiverem coletes em condições de uso;

– A necessidade de que as Operações Policiais sejam realizadas de forma regionalizada;

– A realização de apenas 1 Operação Policial por semana na Região, enquanto o efetivo não for reposto,

– A necessidade da presença de, pelo menos, um “Coelho” nas Operações Policiais,

– Que tenha sempre a presença de, pelo menos, um Delegado por Equipe nas Operações Policiais;

– A falta de combustível para trabalho nas delegacias;

– Viaturas com a manutenção em dia nas Delegacias;

– Armamento e munição adequada nas Delegacias;

– Treinamento constante e descentralizado;

– Horas extras compatíveis com horários trabalhados.

Além desses pontos, os (as) policiais poderão acrescentar outras questões que julguem pertinentes ao debate.