Segurança Pública toma as ruas de Santa Maria para dizer não ao Pacote do Retrocesso

Prosseguindo na sua caravana pelo interior, os trabalhadores da Segurança Pública tomaram as ruas de Santa Maria, nesta terça-feira (22), para protestar contra o Pacote do Retrocesso de Eduardo Leite. A concentração começou às 13 horas, na Praça Saldanha Marinho, onde as entidades se manifestaram no carro de som, mostrando para a população o que significará a aprovação do Pacote para a segurança pública do estado. Além da UGEIRM, fizeram uso da palavra os representantes da Brigada Militar, dos Bombeiros Militares e dos Agentes Penitenciários. Em todas as falas, a tônica era a mesma: a aprovação das propostas apresentadas pelo governador Eduardo Leite significarão um verdadeiro desastre para o serviço público gaúcho e, particularmente, para a segurança pública.

Como frisou o presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, o pacote apresentado pelo governador é um ajuste fiscal travestido de reforma administrativa. O único objetivo é fazer caixa para tapar o buraco da incompetência administrativa dos sucessivos governos gaúchos. E, mais uma vez, quem vai pagar a conta são os servidores públicos e a população gaúcha, que terá a segurança, a educação e a saúde ainda mais sucateadas. Enquanto isso, os subsídios às grandes empresas continuam intocados, assim como as vantagens a alguns setores da burocracia do estado, como gratificações aos altos salários e os que recebem acima do teto constitucional.

Após as falas no carro de som, os manifestantes partiram em caminhada até a Câmara dos vereadores, onde as entidades apresentaram uma Moção de Repúdio ao Pacote do Retrocesso de Eduardo Leite. Os vereadores ouviram as manifestações dos representantes das entidades da segurança pública e colocaram em votação a proposta, que foi aprovada por unanimidade, pelos 20 vereadores presentes à sessão.