Governo Sartori/PMDB continua brincando com o perigo nas carceragens

carceragem_27_07_16AAs carceragens das DPPAs de Porto Alegre começaram a semana, novamente, flertando com uma tragédia. Na 2ª DPPA eram 21 presos amontoados, alguns a 8 dias. Na 3ª DPPA a realidade não era diferente, 15 presos estavam ocupando as duas celas que comportam apenas dois presos cada uma. As possíveis consequências dessa irresponsabilidade do governo Sartori/PMDB já foram ditas e reditas. A vida dos policiais e da população estão colocadas em risco, policiais que deveriam estar realizando o serviço, para o qual foram treinados, executando o serviço de carcereiro. Essas são apenas algumas das consequências.

A direção da UGEIRM, assim que soube da situação se encaminhou para as DPPAs (veja o vídeo abaixo). Ao chegar lá, conversou com os colegas e começou a acionar outras entidades, a imprensa e o próprio governo para tentar solucionar a situação. Ao meio-dia realizou uma reunião emergencial com a OAB. Nesta reunião, os membros da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados se mostraram, também, extremamente preocupados. Relataram que, inclusive, já haviam visitado anteriormente a carceragem da 3ª DPPA e confirmaram a situação absurda que vive os policiais de Porto Alegre. A OAB se comprometeu a também tentar interceder junto ao TJ para que essa situação seja sanada.

carceragem_27_07_16No início da tarde, fruto da mobilização da UGEIRM junto às entidades e ao governo, além do barulho na imprensa, o sindicato recebeu a notícia de que foram abertas 40 vagas no presídio de Charqueadas. Isso deve amenizar a situação das delegacias, mas não vai resolver esse problema que já está se tornando crônico. Para tentar uma solução definitiva, a UGEIRM vai interceder junto à Comissão de Ética do Tribunal de Justiça, para que o Agravo de Instrumento que foi pedido pelo Ministério Público seja julgado imediatamente. A aprovação do Agravo de Instrumento possibilitaria obrigar o governo Sartori/PMDB a cumprir a decisão judicial já tomada pelo TJ. Decisão que o governo simplesmente ignora.

Para o presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, “o Judiciário precisa tomar uma medida imediata. Não poderemos esperar uma morte para que o judiciário se sensibilize. Do governo Sartori/PMDB não esperamos mais nada mesmo. Esse governo só vai se mover quando for ameaçado pela justiça. Enquanto isso, a UGEIRM continuará fazendo barulho e pressionando o governo, inclusive através da mídia, para protegermos a integridade dos policiais no exercício do seu trabalho”.