Manutenção das alíquotas de ICMS é fundamental para estado continuar funcionando

A UGEIRM participou, na tarde desta quarta-feira (16), de uma reunião com o Vice-governador e Secretário de Segurança, Delegado Ranolfo Vieira. A reunião tratou do projeto encaminhado pelo Governador Eduardo Leite à Assembleia Legislativa, que propõe a prorrogação da majoração das alíquotas de ICMS. As alíquotas de ICMS foram aprovadas pela Assembleia Legislativa, ainda no governo Sartori/MDB, com a justificativa de combater a grave crise financeira que vivia o estado naquele momento.

No início do seu mandato, o governador Eduardo Leite conseguiu um acordo com todos os partidos, para prorrogar a majoração das alíquotas por mais dois anos. Agora, com a crise do Novo Coronavírus, Leite enviou um projeto à Assembleia propondo a prorrogação da majoração por mais dois anos. Na reunião com a UGEIRM, o Vice-governador fez um relato dos problemas que a redução das alíquotas trará para o Estado, com o agravamento da crise econômica.

Para UGEIRM manutenção das alíquotas é um mal necessário e deve ser aprovada

Para a direção da UGEIRM, a manutenção das alíquotas é um mal necessário, nesse momento de crise sanitária causada pela Pandemia do Novo Coronavírus. Reduzir, agora, as alíquotas é condenar o estado a aprofundar a sua crise. O resultado será salários novamente atrasados, a publicação das Promoções suspensas e o agravamento do déficit de pessoal, com a não convocação dos aprovados no último concurso da Polícia Civil. Por esse motivo, é fundamental a aprovação do projeto enviado à Assembleia Legislativa.

Os Policiais Civis já deram sua cota de sacrifício, ao ser uma das únicas categorias a manter o funcionamento normal durante a Pandemia, se expondo ao risco de contágio para garantir a segurança da população. Exigir que esses trabalhadores façam mais sacrifícios, beira a desumanidade. Esse é o momento, de cobrar o sacrifício de todos os setores, principalmente dos empresários gaúchos. Os mesmos que, no início da Pandemia não titubearam em procurar o Estado em busca de ajuda. Por todos esses motivos, a UGEIRM apoia a manutenção das alíquotas e conclama os partidos a votar a favor do projeto de Eduardo Leite.