Primeiro dia de paralisação da Segurança Pública tem adesão de todo o estado

O primeiro dia de paralisação da segurança pública foi um sucesso, com a adesão de todas as regiões do estado. Por todo o interior, na região metropolitana e na capital, os (as) Policiais Civis paralisaram as atividades e foram para a frente das Delegacias dialogar com a sociedade. A recepção por parte da população foi extremamente positiva. Nas conversas, foi possível explicar os motivos da paralisação e a situação atual da segurança pública que, diferente do que pinta o governo, não é nenhum mar de rosas. Apesar dos resultados positivos, os profissionais continuam sendo desrespeitados pelo governo, com algumas categorias chegando a sete anos sem reposição salarial.

Na capital, a UGEIRM, junto com as outras entidades promotoras dos “Dias do Diálogo da Segurança Pública” se concentraram na frente do Palácio da Polícia, onde também conversaram com a população. No final da manhã, a Chefe de Polícia, Delegada Nadine Anflor, foi até a barraca da UGEIRM, prestar solidariedade às entidades.

Outros representantes das entidades da segurança pública, percorreram os gabinetes dos deputados estaduais na Assembleia Legislativa, angariando apoio ao movimento e solicitando, aos parlamentares, uma intermediação que possibilite a abertura de negociação com o governo do estado. As entidades foram recebidas pelo Presidente da Casa, deputado Valdecir Oliveira (PT), que se colocou ao lado dos servidores da segurança pública, demonstrando solidariedade às reivindicações das entidades. O parlamentar também informou, que o Governador convocou o Conselho de Estado, para discutir a revisão geral dos salários dos servidores estaduais.

O movimento terá prosseguimento na quinta-feira (31), com mais um dia de paralisação dos servidores da segurança pública e novas ações das entidades, para pressionar o governo. O Presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, avaliou como extremamente positivo o primeiro dia de paralisação. No entanto, Ortiz alerta que “a mobilização não pode parar. Na quinta-feira temos que reforçar o diálogo com a população e a mobilização nas Delegacias. Os colegas do interior do estado deram uma grande demonstração de disposição de luta. É importante também, que se faça pressão nas Câmaras de Vereadores, demonstrando a situação atual da segurança pública. É importante mostrar que já começamos a registrar sinais de reversão na queda dos índices de criminalidade, principalmente no interior. Se o governo continuar tratando os servidores dessa forma, a tendência é que isso se aprofunde. Até agora fizemos muito com cada vez menos. Mas essa situação não vai continuar e quem sofre é a população, com o aumento da violência”.