Várias verdades para contar uma grande mentira

zero_hora_interna

No final dos anos 1980, uma campanha publicitária do Jornal Folha de S. Paulo dizia que “é possível contar um monte de mentiras dizendo só a verdade”. É o caso da reportagem especial que o Jornal Zero Hora traz na sua edição de hoje.

Com o nome “Crise na Segurança”, traz o título de capa “Violência em todo lugar”. Na chamada da capa traz o texto: “traduzida em números, a insegurança dos últimos cinco anos espanta: só os assaltos aumentaram 60%”. Aqui começa a série de verdades que preparam uma grande mentira. Por que o corte dos últimos cinco anos como parâmetro? Por que não os últimos dez anos? Por que não o ano de 2015 somente? Zero Hora não explica a sua “opção metodológica”, mas fica claro, para um olhar mais atento, que a intenção é diluir a responsabilidade do governo Sartori/PMDB.

Todos os dados levantados na matéria são verdadeiros. Temos credibilidade para dizer isso, pois, desde o meio do ano passado temos denunciado no nosso site e através do jornal “A Sirene” o descontrole da violência no nosso Estado. Os dados são realmente alarmantes e qualquer cidadão fica indignado ao ler. Porém, não podemos desatrelar esses dados dos números relativos aos investimentos do governo do Estado.

Zero Hora traz, na mesma edição, os dados relativos aos investimentos do governo. Por “coincidência”, a matéria que fala dos investimentos está fora do especial “Crise na Segurança”, ou seja, para o jornal, uma coisa não tem nada a ver com a outra. Em um quadro, com dados do Portal da Transparência, a matéria traz os investimentos do governo em 2015. Os números são escandalosos, mas para quem não está familiarizado com as finanças públicas não parecem tão ruins assim. Em obras e instalações foram destinados R$ 206,2 milhões, sendo que desse valor, R$ 9,4 milhões foi para a Secretaria de Segurança Pública. Em equipamentos e material permanente, o total foi de R$ 176,4 milhões, sendo R$ 39,3 milhões para a Segurança. Porém, o que Zero Hora não mostra são os valores do ano anterior. Para facilitar a leitura, veja o quadro abaixo com a comparação dos investimentos em 2014 e 2015:

Investimentos em obras e Instalações na Secretaria de Segurança Pública:

2014 = R$ 123,8 milhões

2015 = R$ 9,4 milhões

Investimentos em Equipamentos e Materiais Permanentes:

2014 = R$ 92,9 milhões

2015 = R$ 39,3 milhões

Esta é a verdade que Zero Hora esconde. Os investimentos em segurança desde a posse do governo Sartori/PMDB beiram o ridículo. Sabemos que existe uma crise estrutural na Segurança Pública, que é nacional. Essa crise é fruto da falta de uma política de segurança em todas as esferas de poder, federal, estadual e municipal. Mas a crise específica do Rio Grande do Sul, que é mostrada na matéria de Zero Hora, é fruto da política homicida do governo Sartori. O corte de investimentos, os ataques ao funcionalismo público (entre eles os policiais), a total desorientação na segurança pública, são os motivos para essa explosão de violência em 2015. E essa explosão tem a autoria do governo Sartori/PMDB, o que Zero Hora insiste em não assumir. Nenhuma política de segurança pública resiste a um corte de mais de R$ 100 milhões no dinheiro que deveria ir para ampliação e construção de novos presídios. E foi isso que o governo Sartori fez, enquanto presos eram empilhados em delegacias por causa da interdição do Presídio Central superlotado.

Numa última tentativa de desvincular a atual administração da crise da segurança, Zero Hora ouve integrantes do Governo para apontar as saídas para a crise. Ou seja, o próprio governo que deveria implementar uma política de combate a violência se veste de analista e aponta as soluções que ele mesmo já deveria ter implementado.