Escrivão André Nogueira apresenta sua candidatura na sede da UGEIRM

A UGEIRM recebeu, na tarde desta quinta-feira (27), a visita do Escrivão de Polícia André Nogueira, que é candidato a deputado estadual pelo PSOL. André é lotado na DPPA de Taquara e participou ativamente de todas as mobilizações da categoria contra as políticas de desmonte da segurança pública e ataques aos policiais civis, do governo Sartori.

O candidato fez questão de salientar que o estímulo para lançar sua candidatura, foi a constatação da necessidade dos(as) policiais civis terem um representante na Assembleia Legislativa. A partir das lutas da UGEIRM, das quais participou ativamente, André entendeu que a presença de um representante da categoria no parlamento, comprometido coma luta sindical, é fundamental para a defesa dos interesses dos(as) policiais civis.

Durante sua visita, o candidato elencou uma série de iniciativas que pretende tomar, caso seja eleito:

1) Manutenção da aposentadoria especial com paridade e integralidade. Aos 25 anos de contribuição;

2) 30% de insalubridade e risco a ser adicionados aos salários após o término da tabela;

3) Reposição salarial da inflação;

4) Manutenção da licença prêmio com possibilidade de transformação em ressarcimento pecuniário;

5) Defesa jurídica. Se o policial tiver sua conduta questionada administrativamente ou judicialmente e precisar se defender, poderá escolher o advogado e pedir ressarcimento dos gastos;

6) Autorização para acesso gratuito a Policiais Civis em transportes coletivos intermunicipais;

7) Prioridade no atendimento em caixas bancários, estabelecimentos comerciais, lotéricas, etc.;

8) Prioridade e atendimento em Hospitais de Pronto Socorro, vacinas e exames médicos;

9) Isenção de impostos na compra de carro zero km;

10) Isenção de IPVA para o carro do policial;

11) Garantia de Policial Civil ou ex-Policial Civil cumprir pena em local separado;

12) Lei da atividade de bico;

A UGEIRM continuará, até as eleições do dia 7 de outubro, recebendo os candidatos, tanto ao parlamento quanto ao Executivo, que queiram apresentar suas propostas para a segurança pública.