Festival de Gramado repudia violência contra artistas que protestaram contra censura

Da Redação

A organização do Festival de Cinema de Gramado divulgou na noite de domingo (26) um posicionamento sobre os ataques sofridos por artistas que protestaram no tapete vermelho antes da cerimônia de encerramento do festival, no último sábado (24).

No comunicado, o festival repudia a violência e defende o convívio democrático entre os diferentes públicos que circulam na cidade. “Como sempre fez em sua tela, o Festival de Cinema de Gramado acolhe, contempla e evidencia diferentes estéticas e opiniões, sendo historicamente um espaço para debates e manifestações. O que não se pode admitir é a violência como prática ou resposta a ideias e opiniões diferentes. Só a tolerância e o respeito seguirão fortalecendo a história da cidade, do festival, reforçando e saudando o convívio de todos”, diz a nota.

O encerramento da 47ª edição do Festival de Gramado foi marcado por um protesto de artistas contra os cortes de recursos para a Cultura e contra as mudanças na Agência Nacional do Cinema (Ancine) promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Ao passarem pelo tapete vermelho do Palácio dos Festivais antes da cerimônia de premiação do evento, um grupo de artistas realizou o ato, que contou com uma grande faixa com os dizeres “pelo cinema” e “contra a censura”. De acordo com o relato de jornalistas que acompanharam o evento, os artistas foram alvo de vaias e tiveram jogados contra si restos de comida e pedras de gelo durante a passagem pelo tapete vermelho.

Confira a íntegra do posicionamento do Festival de Gramado.

Comunicado de repúdio à violência

A cidade de Gramado e o Festival de Cinema têm uma história sólida, de fortalecimento e crescimento mútuo. São 47 anos ininterruptos de encontros que trazem à cidade atores, produtores e público do Brasil e América Latina para as mostras, os debates e outras atividades paralelas ligadas à cultura cinematográfica e ao mercado do audiovisual.

Os dias em que acontece o Festival também mobilizam atividades paralelas, festas e shows, reforçando a vocação turística da cidade. O último fim de semana do Festival é particularmente concorrido, enchendo a cidade de diferentes públicos, entre cinéfilos e pessoas que buscam outros eventos. Todos são bem vindos e o tapete vermelho do Festival é democrático. Os espaços em seu entorno são públicos e de livre circulação. Servem de atrativo para os que apenas querem ver artistas e também para os profissionais do audiovisual que acreditam na importância e na história do mais antigo e respeitado Festival de Cinema do Brasil.Conviver com esta diversidade de motivos e desejos para estar na cidade é democrático e fundamental para a harmonia de tudo e todos.

Como sempre fez em sua tela, o Festival de Cinema de Gramado acolhe, contempla e evidencia diferentes estéticas e opiniões, sendo historicamente um espaço para debates e manifestações. O que não se pode admitir é a violência como prática ou resposta a ideias e opiniões diferentes. Só a tolerância e o respeito seguirão fortalecendo a história da cidade, do festival, reforçando e saudando o convívio de todos.