Reunião na OAB/RS destaca a necessidade de um política de segurança para o estado

reuniao_oab1

Na tarde de sexta-feira (1), as entidades do Bloco da Segurança Pública estiveram reunidas com a Seccional da OAB no RS. A reunião, convocada pela OAB/RS, tratou do Plano de Segurança Pública apresentado pelo governo do Estado na quinta-feira (30).

Após a apresentação, por parte das entidades, da situação alarmante de cada corporação, com déficit grave de pessoal, ausência total de investimentos e falta de políticas por parte do governo do estado, a conclusão unânime foi de que o Plano apresentado pelo governo Sartori/PMDB é completamente insuficiente. Para os presentes, a apresentação se tratou mais de uma resposta midiática à epidemia de violência por que passa nosso estado, do que um verdadeiro plano de segurança pública. Para as entidades, o Rio Grande do Sul precisa de um projeto permanente para a segurança pública.

UGEIRM ressalta a importância de um debate profundo sobre segurança pública

Em sua participação no debate, a UGEIRM, representada pelo seu vice-presidente, Fábio Castro, ressaltou a importância da promoção de um grande debate sobre segurança pública no nosso estado. Para Fábio Castro “uma verdadeira política de segurança pública não pode ficar restrita à contratação de policiais e abertura de vagas em presídios. Precisamos discutir uma política real de segurança pública. Precisamos incorporar as contribuições das universidades no debate, ouvir os operadores da segurança pública no dia-a-dia. E, principalmente, ouvir os principais interessados, que é a população que sofre a violência no seu cotidiano. A segurança pública não pode mais sobreviver de ações midiáticas e achismos. Uma área que lida com a vida das pessoas tem que ser tratada de forma séria, algo que não vemos nesse governo”.

Ao final da reunião, a UGEIRM propôs a criação de um Fórum de Debates e Propostas para a Segurança Pública. As entidades se comprometeram com esse debate e, como um primeiro passo, enviarão para a OAB/RS, num prazo de 15 dias, propostas para um projeto de segurança pública. A Ordem dos Advogados ficou responsável de compilar essas propostas, que servirão de base para um debate profundo com o Legislativo, o Executivo e o conjunto da Sociedade Civil. O objetivo desse debate será a criação de uma política permanente de segurança pública que atenda às necessidades da população.