Salários parcelados e carceragens superlotadas

No mesmo dia em que receberam a desagradável notícia que receberiam apenas R$ 350 de salários neste mês, os policiais civis de Canoas estão tendo que lidar com uma situação que, assim como o parcelamento de salários, já está se tornando rotina: 49 presos superlotam a DPPA da cidade. Desses presos, 33 deles permanecem por vários dias no pátio da delegacia. Causando uma situação de grande risco para os policiais e para as pessoas que procuram o atendimento da Polícia Civil.

Essa é a realidade do nosso estado. Enquanto os policiais têm seus salários parcelados, recebendo apenas R$ 350 no final do mês, presos superlotam as carceragens das delegacias, fazendo esses mesmos policiais trabalharem em desvio de função, executando o serviço de carcereiros e colocando sua vida em risco.