UGEIRM realiza ato reivindicando o pagamento dos salários e suspensão do pagamento dos consignados

A direção da UGEIRM realizou, na manhã desta segunda-feira (01), um Ato Público em frente ao Palácio Piratini, reivindicando o pagamento dos salários dos (as) Policiais Civis e a suspensão do pagamento dos empréstimos consignados. A manifestação foi realizada por um número reduzido de policiais, para garantir o respeito às normas de distanciamento social. Todos os policiais estavam com máscaras e portando cartazes individuais, guardando uma distância mínima.

Durante a manifestação, os (as) agentes da Polícia Civil explicavam que, apesar da manutenção das suas atividades durante a pandemia, ainda não receberam seus salários de abril. O calendário de pagamento divulgado pelo governo do estado, prevê a quitação dos salários de abril somente no dia 12 de junho. Porém, essa promessa está condicionada ao repasse, por parte do governo federal, da ajuda aos estados e municípios aprovada no Senado Federal. Esse projeto teve alguns pontos vetados pelo Presidente Bolsonaro e ainda terá que voltar ao Congresso Nacional, para apreciação.

Outro ponto reivindicado pelos (as) Policiais durante o protesto, é a suspensão do pagamento das parcelas do empréstimo consignado, enquanto durar a pandemia do coronavírus. Para o vice-presidente da UGEIRM, Fabio Castro, “a suspensão do pagamento das parcelas dos empréstimos consignados, enquanto durar a pandemia, não tem nenhum custo extra para o Banco. Essa medida não é nenhum favor, mas sim uma reciprocidade aos grandes responsáveis pelos grandes lucros recentes do Banco do Estado, que são os servidores públicos estaduais”.

Antes da manifestação, a direção da UGEIRM foi recebida pelo presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo (PP). No encontro, articulado pelo deputado Jeferson Fernandes (PT) e pelo Comissário André que trabalha no gabinete do deputado Ernani Polo, a direção do sindicato tratou do atraso de salários dos (as) Policiais Civis e da suspensão do pagamento dos empréstimos consignados (clique aqui e veja o relato completo da reunião).