Confira a programação de 22 a 24 de janeiro do 19º Porto Verão Alegre

A programação do Porto Verão Alegre de 22 a 24 de janeiro, segunda a quarta, terá as seguintes atrações:  Rindo Afú, Apareceu a Margarida (com dez anos de história), O Mal Entendido, Os Homens do Triângulo Rosa e as estreias nesta edição: Closer, Palco Babylônia, Los Meketrefes.

O Festival de Food Trucks estarão na área externa ao Teatro da AMRIGS até o final do festival. Os food trucks participantes são o Bistrô da Ana, de hambúrguer, o Talagaçõ Beertruck, de cerveja artesanal, e o Petit Café. O serviço dos trucks ficará disponível das 18h às 23h.

Confira a programação completa:

Rindo Afú
Datas: 22, 23 e 24 de janeiro
Horário: 21h
Local: Teatro da AMRIGS, Av. Ipiranga, 5311

Sinopse:
Festival de humor que apresenta o que de melhor está sendo produzido nos palcos do Rio Grande do Sul. O objetivo é transformar o espetáculo em uma grande reunião de amigos, dando espaço a novos talentos que têm se destacado no Estado.

Ficha Técnica:
Direção: Vários
Realização: Artistaria Produtora de Humor

Elenco:
Dia 22: Cris pereira, Afonso Padilha, Matheus Breyer, Rafael Campos e Erick Clapton
Dia 23: Cris pereira, Nando Viana, Matheus Breyer, Rafael Campos  e Erick Clapton
Dia 24: Cris Pereira, Fabiano Cambota, Matheus Breyer, Rafael Campos e Erick Clapton

Duração: 60 minutos
Classificação: 14 anos

Closer
Datas: 23 e 24 de janeiro
Horário: 20h
Local: Instituto Ling, Rua João Caetano, 440

Sinopse:
Um espetáculo que busca trazer luz às ersas nuances da forma humana de se relacionar. O que há entre dois corpos, quando o sentimento de posse se encontra com a traição? Entre o erotismo e o aconchego; o ódio e o prazer; o alívio e a ruptura, está a efemeridade do sentimento.  Entre términos, separações, traições, mágoas, quatro iníduos desajustados se relacionam em uma complexa rede afetiva. Nessa encenação bastante intimista, os espectadores são convidados a seguir os personagens por um espaço cultural contemporâneo e participam como testemunhas de encontros potentes que evocam o erotismo, a necessidade do outro, aquecendo até o peito daquele mais cético, despertando a dor intrínseca de ser amado, e, sendo assim, de ser humano.  Closer, de Patrick Marber, é um dos melhores textos acerca da relação do amor e da fidelidade na contemporaneidade. Em 2004 foi adaptado para o cinema com direção de Mike Nichols. No elenco Júlia Roberts, Jude Law, Natalie Portman e Clive Owen.

Ficha Técnica:
Direção e Sonoplastia: Catharina Conte
Assistente de Direção: Renata Stein
Texto: Patrick Marber
Elenco: Duda Andreazza, Gabriela Moscovich, Guilherme Carravetta de Carli, Nicolas Haag e Verônica Becker
Participação especial: Jaque Lodi Moraes
Figurinos e cenografia: O Grupo
Produção Executiva, Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Gustavo Saul
Iluminação: Kevin Brezolin
Realização: Complexo Criativo Cômica Cultural

Duração: 70 minutos
Classificação: 14 anos

Apareceu a Margarida
Datas: 23 e 24 de janeiro
Horário: 20h
Local: Teatro do SESC, Av. Alberto Bins, 665

A professora Dona Margarida, em seu primeiro dia de aula, expõe assuntos nada ortodoxos aos alunos: sexo, disciplina, morte e “biologia” de forma contundente, beirando o nonsense. O texto de Roberto Athayde é o mais montado pelo mundo, já tendo sido apresentado em mais de 50 países, e foi imortalizado por Marília Pera nos anos 70. A Cia Teatrofídico completa, em 2018, 10 anos desta montagem tragicômica onde Renato Del Campão, indicado ao Açorianos de Melhor Ator, dá um verdadeiro show.

Ficha Técnica:
Autor – Roberto Athayde
Direção – Eduardo Kraemer
Atuação – Renato Del Campão (Dona Margarida) e Jairo Klein (aluno)
Cenografia, iluminação e sonoplastia – Eduardo Kraemer
Trilha Sonora: Maninha Pedroso
Figurinos – Antonio Rabadan e Curso de Design de Moda e Tecnologia Da Feevale
Fotos – Luciana Mena Barreto

Duração: 110 min
Classificação:16 anos

Palco Babylônia
Datas: 23, 24 e 25 de janeiro
Horário: 21h
Local: Centro Histórico-Cultural Santa Casa, Av. Independência,75
Sinopse:

Palco Babylonia é uma comédia para rir sem moderação. A peça, com texto de Artur José Pinto, coloca em um liquidificador teatral personagens como o filósofo Sócrates, Noé e sua arca, Rainha Isabel e Pedro Álvares Cabral, senadores gregos, e nada mais nada menos do que um índio argentino. Desse encontro nonsense de personagens inusitados derivam cenas hilariantes que remetem à formação da moral, ética e política do povo brasileiro. Em síntese, uma comédia de “maus costumes”.

Ficha Técnica:
Direção: Néstor Monasterio
Texto: Artur José Pinto
Elenco: Fernando Waschburger, Heloísa Palaoro e Néstor Monasterio
Cenário: Rodrigo Lopes
Figurinos: Deh Dullius e Lolla Monasterio
Coreografias: Cibele Sastre
Preparação Visual: Nicolas Monasterio
Produção: Etceteratral.

Duração: 75 minutos
Classificação: 14 anos

O Mal entendido
Datas: 23, 24 e 25 de janeiro
Horário: 21h
Local: Sala Álvaro Moreyra, Av. Érico Veríssimo, 307

Sinopse:
A premiada montagem gaúcha, com texto de Albert Camus e com direção de Daniel Colin, apresenta atmosfera sombria e visualmente impactante, trazendo ao público a tensão da busca de sentido e a incomunicabilidade que permeia as relações, convergindo numa imprevisível desgraça sobre uma humanidade descuidada e de valores em plena decadência. Apesar de o texto ter sido escrito há mais de 70 anos, a narrativa continua atualíssima, trazendo questionamentos sobre os comportamentos e funcionamentos das pessoas, como o que as move e como elas reagem aos acontecimentos. O público é levado a uma espécie de catarse provocada pelas nuances de terror que dão o tom obscuro e envolvente da encenação.

Ficha Técnica:
Direção: Daniel Colin
Dramaturgia: Albert Camus
Tradução: Aline Sokolovsky e Caio Amon
Elenco: Carla Cassapo, Elison Couto, Fernanda Petit, Gabriela Greco e Pedro Nambuco
Criação e operação de luz :Carlos Azevedo
Trilha sonora e operação de som: Beto Chedid
Figurinos: Antonio Rabadan
Cenário: Marco Fronckowiak e Rodrigo Souto Lopes
Cabelos/ Maquiagem: Elison Couto
Contraregragem: Dener Augusto/Julia Pilotti
Produção: Fernanda Petit
Fotos: Jorge Scherer e Adriana Marchiori
Duração: 60 minutos
Classificação:18 anos

Los Meketrefes
Datas: 23,24 e 25 de janeiro
Horário: 21h
Local: Teatro de Arena, Av. Borges de Medeiros, 835

Sinopse:
Los Meketrefes é um espetáculo que mistura o musical bem humorado com piano e voz ao vivo, o melhor do stand up comedy solo e ainda engraçadíssimos personagens e vestimentas hilárias em um esquete teatral. Fazem um “tributo” ao centro histórico da capital, parodiam a televisão e o rádio, a cultura pop predominante e outros temas candentes, onde a plateia também tem a sua vez.

Ficha técnica:
Atores: Oscar Simch, Índio Behn e Wilson Rosa
Texto, músicas e direção: o Grupo

Duração: 60 minutos
Classificação: 12 anos

Os homens do triângulo rosa
Datas: 23, 24 e 25 de janeiro
Horário: 21h
Local: Teatro Renascença, Érico Veríssimo, 307

Sinopse:
O tema desse premiado espetáculo é a perseguição aos homossexuais pelo regime nazista, na Alemanha. Triângulo rosa era a forma como esses homens eram chamados nos campos de concentração, discriminados até mesmo pelos outros internos. A peça conta a história de sobreviventes que sofreram com a brutalidade e a intolerância, mas que poderiam encontrar, mesmo em condições tão terríveis, um lugar para a solidariedade e o amor. Espetáculo de grande força e contundência emocional, que abre espaço para a poesia e a esperança, é um grande sucesso de público desde sua estreia em 2014.

Ficha Técnica:
Direção: Margarida Peixoto
Dramaturgia: adaptação das obras literárias Bent, de Martin Sherman; Triângulo rosa: um homossexual no campo de concentração nazista, de Jean-Luc Schwab e Rudolf Brazda; e Eu, Pierre Seel, deportado homossexual, de Pierre Seel
Elenco: Marcelo Ádams, Frederico Vasques, Gustavo Susin, Gisela Habeyche, Alex Limberger, Pedro Delgado e Edgar Rosa
Instrumentista: Elda Pires
Figurinos: Antônio Rabadan
Cenografia: Yara Balboni
Trilha Sonora: Marcelo Ádams (Letras) Sobre Músicas De Kurt Weill
Iluminação: Maurício Moura
Operação de iluminação: Wagner Duarte
Maquiagem: Margarida Peixoto
Produção: Cia Teatro Ao Quadrado
Fotografias: Adriano Arantos

Duração: 120 minutos
Classificação: 16 anos
Este espetáculo terá tradução para libras em todas as sessões.