Congresso da Feipol Sul vai discutir medidas de ajuste do governo Sartori

marcelaA UGEIRM/Sindicato vai sediar o congresso da FEIPOL/SUL – Federação Interestadual dos Trabalhadores Policiais Civis da Região Sul – que acontece nos dias 26 e 27 de fevereiro às 14 horas (Rua Lobo da Costa, 480). O encontro vai reunir representantes sindicais do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná com o objetivo de dialogar sobre a situação da segurança pública no Brasil, analisar as propostas de alteração na estrutura das Polícias, como a PEC 51/14 e avaliar a 2ª conferência Nacional de Segurança Pública, prevista para ocorrer em 2015.

Na ocasião também será escolhida a nova diretoria da entidade para o triênio (2015-2017) e os policiais irão discutir sobre a conjuntura política da Região Sul na perspectiva dos últimos acontecimentos no Paraná. O encontro conta com a presença do Sr. Jânio Bosco Gandra, presidente da COBRAPOL – Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis e o presidente da FEIPOL SUL, Sr. André Gutierrez.

Avaliação do governo Sartori

Durante os dois dias do Congresso os policiais civis pretendem avaliar os primeiros 50 dias do governo Sartori e as medidas anunciadas pelo novo governo que atingem os servidores públicos, tais como o corte e horas extras, o  adiamento das promoções e o congelamento das nomeações.

A possibilidade de atraso no pagamento dos salários dos servidores públicos, anunciada pelo governador Sartori através da imprensa e ratificada por representantes da secretaria da Fazenda gerou grande temor entre os policiais gaúchos. ” O atraso nos salários dos servidores públicos é uma hipótese inimaginável, uma medida dessas seria um desastre para a sociedade gaúcha. Não permitiremos que uma ação dessas se concretize”  afirma Isaac  Ortiz, presidente a Ugeirm/Sindicato.

O déficit do efetivo na Polícia Civil também consta na pauta do encontro. “650 candidatos se mantém mobilizados, aguardando  uma resposta  sobre a sua convocação e, até o momento, têm sido ignorados pelo governo, precisamos de uma definição urgente” enfatiza Fábio Castro, vice-presidente da Ugeirm/Sindicato.

Ataque aos direitos dos servidores públicos do Paraná

Recentemente o governo do Paraná enviou um pacote de medidas à Assembléia Legislativa promovendo um violento ataque aos direitos dos servidores públicos paranaenses. O chamado “pacotaço”, também conhecido como “pacote da austeridade”, previa o saque de 8 bilhões da previdência dos servidores públicos e extinguia direitos do básicos como a progressão funcional. O “pacotaço” foi derrotado após a reação enérgica dos servidores que decretaram uma greve geral no estado forçando o recuo do governo que retirou os projetos.

O congresso da Feipol Sul servirá para fazer uma leitura dos acontecimentos no Paraná e preparar os policiais civis gaúchos para resistir em caso de qualquer tentativa de retirada de direitos. O calendário de reajuste dos subsídios, a previdência, a manutenção o IPE Saúde, público e de qualidade, são direitos inalienáveis dos policiais gaúchos. ” A valorização dos servidores de um estado  é a  garantia da prestação de serviços públicos de qualidade à população e a sua supressão não será aceita em hipótese alguma” argumenta Isaac Ortiz.