Entidades se reúnem, no dia 1/12 na Assembleia Legislativa, para denunciar desmonte da segurança pública

segura_todos

No dia 1º de dezembro, às 9h30, as entidades da Segurança Pública farão uma reunião conjunta de seus Conselhos de Representantes. O encontro, que acontecerá na sala Adão Pretto – Espaço Convergência da Assembleia Legislativa, tem como objetivo fazer uma discussão mais aprofundada sobre a grave situação enfrentada pela área de segurança pública do RS e denunciar o desmonte da segurança pública promovido pelo governo Sartori/PMDB. Outro ponto que será abordado na reunião, é a possibilidade do governo Sartori/PMDB pedalar a implantação da Tabela de Subsídios da Segurança Pública. As entidades prepararão uma resposta conjunta a mais esse ataque do governo. A reunião contará com a participação dos integrantes dos Conselhos de Representantes das entidades que representam os trabalhadores da Polícia Civil, Brigada Militar, SUSEPE, Instituto Geral de Perícias e Corpo de Bombeiros.

Lançamento do Jornal Unificado da Segurança Pública

Na abertura da reunião, acontecerá o lançamento do Jornal A Sirene. A publicação é uma iniciativa das entidades da segurança pública, com o intuito de dialogar com a população sobre a situação da segurança pública no nosso estado. O jornal traz textos sobre a atual situação de cada uma das categorias que compõem a segurança pública no RS, além de números sobre o aumento da violência registrado no último ano.

Para o presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, “essa reunião acontece no momento certo. Depois da declaração do governador Sartori, dizendo que os servidores têm que agradecer a Deus por ter estabilidade, não ficou nenhuma dúvida da sua total incapacidade para entender o que é a administração pública. Imagine se as forças de segurança não tivessem estabilidade e os policiais pudessem ser demitidos pelo governante do momento? Alguém acha que haveria algum combate a corrupção? O primeiro policial que algemasse um político corrupto seria demitido no dia seguinte! As entidades tem que discutir uma forma de proteger a segurança pública do estado do governador Sartori/PMDB. Se não fizermos nada agora, chegaremos em 2018 com o Rio Grande do Sul entregue aos bandidos!”