Novo Relatório da PEC 32 não traz avanços e é apresentado para discussão e votação na Comissão Especial

Apesar da grande mobilização da Cobrapol e da UGEIRM em Brasília, o relator da PEC32, deputado Arthur Maia (DEM-BA), apresentou novo relatório da reforma administrativa sem avanços para a categoria. O texto apresentado mantém os principais ataques aos servidores da segurança pública, representando uma grave precarização do serviço público em todos os níveis.

Os principais pontos, já apresentados na versão anterior do relatório, como a demissão por insuficiência de desempenho, o fim das promoções por antiguidade, a manutenção do fim da paridade e integralidade para os policiais que ingressaram após 2015, o fim das pensões integrais e a precarização do serviço público como um todo, foram mantidos no novo texto. Com isso, a orientação da Cobrapol e da UGEIRM é pela rejeição total do texto.

Para o Vice-presidente da UGEIRM e Presidente da Feipol-Sul, Fabio Castro, que está em Brasília, “agora é a o momento de aprofundar a pressão sobre os parlamentares. A base governista quer votar a proposta em Plenário, já na próxima semana. Portanto, a categoria tem que organizar uma grande mobilização, com o envio de mensagens aos deputados e pressão sobre os parlamentares nas suas bases”.

Cobrapol prepara grande mobilização nacional na próxima semana

A Cobrapol organizará, em conjunto com a Adepol (Associação dos Delegados de Polícia do Brasil), FENASPEN (Federação Nacional dos Policiais Penais) e FENAGUARDAS (Federação Nacional dos Guardas Municipais), uma mobilização conjunta na próxima semana, para pressionar pela rejeição da PEC32 no Plenário da Câmara dos Deputados. Existe a possibilidade de se organizar uma Operação Padrão Nacional, de todas as Polícias Civis do país, pela derrubada da PEC32. O Presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, convoca os (as) Policiais Civis gaúchos: “se a PEC32 for aprovada do jeito que está, será o fim do serviço público. Por isso é fundamental que façamos uma grande mobilização nacional. Existe espaço para convencimento dos parlamentares. O próprio governo sabe que não será fácil alcançar os votos necessários para aprovar a PEC32 como está. Portanto, essa mobilização das Polícias em nível nacional, pode ser o empurrão necessário para a rejeição do desmonte do serviço público”.

Pressão nas redes também será fundamental

É hora de pressão total sobre os deputados. Os parlamentares ligados à área da segurança pública podem decidir a votação. Vamos cobrar a coerência desses deputados e exigir um posicionamento em defesa dos policiais. Se eles, realmente, têm compromisso com a nossa categoria, devem se posicionar claramente contra a PEC32.

A UGEIRM preparou uma mensagem para ser enviada a esses deputados federais. Para isso, basta clicar no link abaixo e enviar a mensagem diretamente para os e-mails dos deputados identificados com a Segurança Pública.